21/07/2016

Capítulo 3

Meu amor, lindo né gente?

Porque tudo o que eu sei é que nós dissemos "oi" e seus olhos são como voltar para casa. Tudo o que eu sei é um simples nome e tudo mudou. - Everything Has Changed, Taylor Swift

Casa da Demi - 08:30 da noite 

Demetria e os dois filhos estavam na sala de estar assistindo Alvin E Os Esquilos: Na estrada! Demi havia ajudado Jacob com a lição de casa, e todos já haviam jantado. Eles estavam esparramados pelo o enorme sofá de canto branco. Brooklyn estava deitado na parte mais larga do sofá enquanto Demetria e Jac na parte menor. O filme acabou e os créditos começaram subir pela tela da televisão, Demi alisou os cabelos castanhos claro de Jacob e beijou a testa dele, o menino dormia serenamente, até suspirava. 

- Quer que eu coloque ele na cama? - Brooklyn perguntou colocando seu celular em cima da mesinha de centro, Demi negou com a cabeça e sentou, ela ainda não tinha esquecido sobre a conversa que precisava ter com o filho mais velho sobre a briga dele com o pai. 

- Nós precisamos conversa mocinho. - Demi disse adentrando sua mão nos cabelos negros, arrumou o cabelo de lado e levantou pegando o balde de pipoca e os três copos, Demi não disse nada mas Brooklyn sabia que deveria seguir a mãe. - E então? - Demi perguntou colocando as louças em cima da pia, deixaria pra lavar no dia seguinte. 

- E então o que? - Brooklyn se fez de desentendido e sentou num dos banquinhos ao redor do balcão, Demi revirou os olhos e sentou de frente à ele. - Eu estou cansado de promessas. - Desabafou chateado, era sempre a mesma coisa: Noah prometia e nunca cumpria! - Ele sempre promete as coisas pra mim e pro Jac e nunca cumpri, eu fico irritado quando ele dá presente pra gente porque ele acha que os presentes caros pode substituir as mancadas que ele dá mas não pode, eu fico irritado porque ele compra o Jac com os presentes dele, o Jac é só uma criança. - Demi pode ver a dor nos olhos do filho. Diabos, queria matar o Noah! Os olhos de Brooklyn estavam brilhando em lágrimas, Demi suspirou e o abraçou, o menino apoiou a cabeça no tórax da mãe e a abraçou pela cintura. 

- Querido, seu pai é um homem ocupado... - Disse calmamente. 

- Isso não é desculpa, mãe. - Demi suspirou pesadamente, sabia que o filho tinha razão, nada justificava a ausência do pai deles. Demi beijou o topo da cabeça dele e alisou o rosto do filho. - Ele vai casar... - Demi franziu o cenho e Brooklyn desfez o abraço e limpou as lágrimas 

- Casar? - Brooklyn assentiu irritado, se sendo solteiro o pai mal via eles imagine quando ele casasse 

- Sim, ele vai casar com a secretária dele. - Típico! A secretária e o chefe, porque Demi não estava surpresa? - Mãe, ela tem idade de ser minha irmã. - Fez uma careta 

- Querido, amor não tem idade... 

- Ela não ama ele, ela só esta com ele por causa do dinheiro dele. - Disse chateado, odiava aquela situação, porque seu pai tinha que ser tão burro? - Às vezes eu me pergunto porque ele era tão idiota quando nós eramos uma família? Se ele não fosse tão idiota talvez nós ainda seríamos uma família...

- Filho, quando seu pai e eu nos casamos, eu era uma criança de dezesseis anos e seu pai um jovem de vinte e um anos que estava começando a vida, não soubemos lidar com um casamento, mas isso não significa que não fomos felizes, ele me deu você e o seu irmão que são os melhores presentes que eu poderia ganhar. Eu não quero que você fique guardando raiva e mágoa do seu pai, isso não faz bem pra você, ok? Eu tenho certeza que ele te ama. - Brooklyn assentiu e abraçou a mãe novamente como uma criança assustada, nem a mãe conseguia fazê-lo acreditar que o pai o amava de verdade, ele só cumpria o papel de pai que era dar uma pensão todo mês e buscá-los para um final de semana juntos de três ou quatro em quatro meses, isso era ser pai? 

- Eu amo você. - Demi sorriu e o abraçou mais forte. Apesar de quase nunca demonstrar, Demi sabia que Brooklyn sentia falta do pai em sua vida, quando tinha três anos, ele e Noah eram muito apegados porém o laço entre eles foi quebrado quando Demi se separou. Ela já havia conversado com Noah sobre a falta de participação na vida dos filhos porém de nada adiantou, ele fazia de tudo pelas empresas dele, inclusive deixar os filhos de lado. 

- Eu também amo você, você é tudo na minha vida, nunca se esqueça disso, ok? - Brooklyn assentiu e limpou as lágrimas com a manga do seu moletom, sentia aliviado por ter colocado aquilo pra fora. - Eu vou colocar seu irmão na cama, e você trate de ir dormir, amanhã tem aula e eu não quero que você se atrase. 

- Ok, boa noite. - Brooklyn beijou a testa da mãe e subiu para o quarto. Demi pegou Jacob no colo e subiu com ele, seu pequeno estava crescendo e ficando pesado. Cobriu o garoto com o cobertor azul do homem-aranha e depositou um beijo no topo da cabeça dele, saiu do quarto e encostou a porta. Passou no quarto de Brooklyn e o garoto já estava deitado em sua cama mexendo no celular. 

- Boa noite meu amor. - Demi beijou a testa dele - Nada de dormir tarde, está me ouvindo? - O menino assentiu e sorriu, Demi apagou a luz do quarto e caminhou até o seu quarto, se despiu e entrou na ducha quente. ser mãe não era uma tarefa fácil. Por um motivo que ela desconhecia, seus pensamentos foram até o homem fofo e bonito que ela encontrou no mercado mais cedo. 


Dia seguinte | Escola - 09:30 da manhã

Numa das mesas do refeitório estava Brooklyn, Peter, Grace e Hailee, os adolescentes comiam e conversavam animadamente sobre coisas aleatórias, filmes, músicas, livros e etc... Hailee estava feliz por ter conseguido se enturmar e esperava que a irmã tivesse conseguido o mesmo. Brooklyn sorriu para Grace e a menina desviou o olhar com as bochechas coradas.

- Então Hailee aonde você morava antes? - Grace perguntou sorrindo para a menina. Grace estudava naquela escola à anos e sempre conversava mais com os garotos pois a maioria das meninas eram fúteis e superficiais. Esse era um dos motivos que faziam Brooklyn se apaixonar pela menina, ela não era igual aquelas meninas da escola, ela era diferente, preferia o bom e velho rock à Taylor Swift.

- Eu morava em Miami, não faz nem uma semana que estou morando em Beaufort. - Peter não tirava os olhos de Hailee, Brooklyn riu e deu um tapa na nuca do amigo.

- E porque vocês se mudaram pra uma cidade pequena? - Peter perguntou olhando para a menina com um brilho diferente nos olhos.

- Minha mãe faleceu à alguns anos e meu pai nunca conseguiu seguir em frente. - Deu os ombros - Eles trabalhavam na mesma empresa, faziam tudo juntos, então meu pai decidiu que era melhor mudar de cidade, começar uma nova vida, longe das lembranças, entende? - Eles assentiram

- Ela mora em frente a minha casa. - Peter olhou para a Hailee e ela assentiu sorrindo - Depois podemos marcar alguma coisa. - Brooklyn disse dando os ombros

- Abriu um Starbucks aqui perto. - Grace falou sorrindo - Poderíamos marcar de ir lá, qualquer dia desses... - Eles assentiram e continuaram a conversa, Brooklyn percorreu os olhos pelo pátio e viu Elizabeth sentada sozinha em uma das mesas comendo seu lanche e ouvindo música nos fones.

- Aquela não é sua irmã, Hailee? - Brooklyn perguntou apontando disfarçadamente, Hailee assentiu olhando para a irmã e suspirou, pelo visto Beth não havia conseguido fazer amizade e isso era o que ela mais temia.

- Eu posso chamar ela pra sentar conosco? - Perguntou - Ela é muito tímida e difícil de fazer amizade. - Eles assentiram e Hailee caminhou até a irmã. Elizabeth levantou a cabeça para olhar a irmã mais velha. - Quer ir sentar comigo e com meus amigos? - Hailee apontou para a mesa e Elizabeth olhou para a mesa que a irmã estava sentada, os novos amigos de Hailee acenaram pra ela e ela assentiu, era melhor do que comer sozinha. Beth levantou e caminhou junto com a irmã até o outro lado do pátio. - Pessoal essa é minha irmã, Elizabeth.

- Oi Lizzie. - Brooklyn sorriu e Elizabeth o cumprimentou com um tímido oi.


Casa da Demi | 12:15


A chuva forte caia do lado de fora da casa, o céu estava completamente cinza e os raios fortes cortavam o céu. A chuva começara cair de uma hora pra outra às onze da manhã e desde então não tinha parado, parecia até que o céu ia desabar. Demi estava trabalhando em seu escritório, já estava na hora de buscar os meninos na escola e a chuva não diminuía. Demi minimizou a janela do Excel e levantou da sua cadeira de couro giratória, subiu até o quarto e calçou sua bota ugg e colocou seu sobretudo preto, Desceu as escadas e passou na lavanderia para pegar dois guardas-chuva. Graças a Deus a escola não era tão longe, apenas dez minutos de carro. A maioria dos alunos estavam dentro da escola esperando a chuva passar ou diminuir, ótimo! Seria um sacrifício achar Brooklyn no meio daquele monte de adolescentes.

Demi pegou os guardas-chuva e desceu do carro, abriu um deles e quando chegou no portão da escola, fechou e adentrou logo em seguida. Ela passou os olhos por aquele monte de alunos e encontrou Brooklyn sentado com Jacob e mais duas meninas num dos bancos do pátio, não muito longe da entrada. Ela caminhou até os filhos e abriu os braços quando Jacob correu até ela.

- Oi mamãe, eu senti sua falta. - Demi sorriu e beijou longamente a testa de Jacob, quando se aproximou Demi sorriu ao ver Elizabeth.

- Oi. - Demi sorriu para a menina, Brooklyn levantou e deu um beijo na bochecha da mãe.

- Oi Demi. - Elizabeth sorriu para a mulher mais velha a admirando-a, ela era tão bonita!

- Achei que iria demorar mais já que o mundo está desabando. Mãe, essa é Haiz, ela é irmã da Lizzie. - Demi sorriu e cumprimentou a menina com um breve abraço

- Vamos? - Demi perguntou para Brooklyn e Jacob, o mais novo já estava começando a ficar inquieto, estava com sono e com fome, queria tirar seu cochilo da tarde já que hoje não teria karatê. Demi pegou a mochila das costas de Jacob e pendurou uma alça da bolsa em seus ombros.

- Será que a gente pode dar uma carona pra elas? - Brooklyn perguntou para Demi, Demi sorriu e assentiu.

- Claro, vamos meninas? - As meninas assentiram e levantaram pegando a bolsa - Cadê Peter? - Demi perguntou ao notar que o sobrinho de consideração não estava com o grupo de amigos, geralmente ela dava carona à ele também

- O tio Orlando buscou ele. - Jacob respondeu, Demi pegou o filho no colo e o garoto encostou a cabeça no ombro da mãe, Demi entregou um guarda-chuva para Brooklyn e abriu outro. Demi, Jacob e Lizzie foram na frente, sendo acolhidas pelo guarda-chuva maior, enquanto Brooklyn e Haiz iam logo atrás no guarda-chuva menor, os dois se empurravam e riam porque estavam se molhando.

- Todos estão no carro e com o cinto? - Demi perguntou olhando para trás, as meninas e Jacob assentiram e Demi deu partida. Brooklyn ligou o rádio e estava tocando Ride do Twenty One Pilots. Não demorou muito para que todos no carro começasse a cantar.

- Oh, oh, i'm falling, so i'm taking my time on my ride. - Eles cantarolavam, até o pequeno Jacob sabia a letra por influência do irmão. Elizabeth olhou discretamente para Demi e sorriu, ela era tão bonita e divertida. Será que sua mãe era como Demi? Demi olhou para Lizzie pelo retrovisor e sorriu, a garota sentiu suas bochechas corar quando foi flagrada.

- Vocês ficam sozinhas em casa? - Demi perguntou olhando para trás quando parou no sinal vermelho.

- Sim, o nosso pai chega depois das quatro e meia. - Hailee respondeu e Demi assentiu olhando para frente quando o carro de trás buzinou irritado, o sinal havia aberto. O carro de trás ultrapassou Demi e buzinou novamente.

- Tinha que ser mulher. - Ele gritou do carro, Demi revirou os olhos e mostrou o dedo do meio colocando a mão para fora da janela, que homem mais machista! Só depois que Demi se tocou que estava com várias crianças dentro do carro, meu Deus, que vergonha! As bochechas esquentaram e ela olhou para o filho que ria dela. - Não repitam isso, crianças. - Ela disse rindo.

- Quando vamos começar o trabalho de química? - Hailee perguntou colocando uma mecha do cabelo atrás da orelha.

- Quando você quiser. - Deu os ombros.

- Pode ser amanhã? - Perguntou tímida - Eu não quero ficar acumulando, sabe?

- Pode ser. - Brooklyn olhou para trás e sorriu - Pode ser lá em casa? - Hailee assentiu - Pode ser mãe?

- O que? - Demi perguntou distraída, estava prestando atenção na estrada, não queria ser xingada!

- Fazer trabalho de química lá em casa? - Demi apenas assentiu, a chuva tinha dado uma trégua. Não estava chovendo forte apenas garoando.


Casa do Joe - 12:35 


Joseph levantou-se da mesa e colocou o prato e copo que sujara em cima da pia e limpou a boca com um guardanapo. O tempo para o almoço hoje fora pouco, tinha uma reunião dentro de vinte minutos, por isso não esperou as meninas para almoçarem juntos, tentou ligar para Hailee mas o celular da garota estava desligado e o de Beth chamava mas ninguém entendia, pensou em buscar as meninas na escola mas quando chegou em casa elas ainda estavam em horário de aula e se buscasse elas agora iria se atrasar para reunião, até buscá-las, trazê-las em casa e voltar para o escritório seria  um trajeto e tanto. Joe guardou o celular no bolso e pegou suas chaves, saiu de casa e trancou a porta, quando virou-se viu Hailee e Elizabeth saindo do carro que estava estacionado na casa da frente, ele franziu o cenho e foi até as meninas. 

- Papai? - Beth franziu o cenho quando viu o pai atravessar a rua, ela se aproximou do pai e ganhou um beijo na testa. 

- Oi querida. - Disse sorrindo 

- O que você está fazendo em casa tão cedo? - Hailee perguntou estranhando. 

- Filho cuidado a poça de água. - Demi alertou Jacob enquanto descia do carro, aquela voz era familiar, Joe franziu o cenho e olhou para o carro preto, suas bochechas coraram fortemente quando viu a mulher do supermercado fechar a porta do carro. Os olhos de Demi encontrou os seus e ela sorriu, as bochechas também estava avermelhadas.

- Oi. - Demi sorriu ao vê-lo, então ele era o seu novo vizinho? Era a segunda vez que ela o via com terno, ele era tão bonito!

- Oi, tudo bem? - Joe perguntou colocando as mãos dentro do bolso social, diabos! Estava envergonhado, essa mulher tinha ajudado ele à comprar absorventes e agora descobrirá que ela é sua vizinha.

- Vocês se conhecem? - Hailee perguntou enquanto observava o pai envergonhado, ele não ficava assim na frente de outras mulheres.

- Nos esbarramos no mercado. - Demi disse sorrindo, era melhor guardar a parte dos absorventes, não iria constrangê-lo mais do que ele já estava. - Sou Demi.

- Joseph. - Joe estendeu a mão e Demi a apertou sorrindo.

- Ela deu uma carona pra gente. - Hailee explicou e Joe assentiu - Estava chovendo e eu sou da sala do Brooklyn, filho dela. - Brooklyn acenou enquanto trocava mensagem com Peter, eles estavam combinando de ir para a quadra de basquete caso parasse de chover totalmente.

- Obrigada pela ajuda, Demi.

- Não precisa agradecer, se precisar de alguma coisa é só chamar.

- Mamãe vamos, eu estou com fome! - Jacob reclamou, fome e sono! Só queria comer a comida maravilhosa da mãe e depois dormir seu sono da tarde.

- Jacob! - Demi repreendeu o menino com o olhar - Cumprimente Joseph.

- Oi Joseph, desculpa pela minha falta de educação mas eu só estou com fome. - Brooklyn riu do irmão e o menino sentiu suas bochechas corarem. Jacob era uma graça! Joe sorriu e se abaixou ficando na altura do menino, ele adorava crianças e sentia falta de quando suas meninas eram pequenas.

- Eu entendo, Jacob. - Disse como se estivesse contando um segredo e sorriu sapeca piscando logo em seguida.

- Eu preciso entrar, tenho duas barrigas para alimentar, foi um prazer Joseph. - O sorriso dela era tão bonito e verdadeiro.

- Obrigada por trazer elas.

- Sempre que precisar. - Demi piscou sorrindo

- Tchau Demi, obrigada. - As meninas se despediram de Demi com um aceno, Demi sorriu e acenou de volta adentrando na casa.

- Eu preciso ir pro trabalho, já estou atrasado. - Disse atravessando a rua com as meninas - Tem almoço pra vocês dentro da geladeira, usem o microondas, pelo amor de Deus! - As meninas reviraram os olhos, só Deus sabia o tanto que elas já haviam aprontado. - Deixem o celular ligado, entenderam? - As meninas assentiram entediadas, era sempre as mesmas regras, já haviam escutado aquele discurso milhares de vezes. - Qualquer coisa só ligar. - Joseph destrancou a porta do carro e deu um beijo na testa de cada uma. - Juízo vocês duas! - Disse adentrando no carro. As meninas assentiram e acenaram, Joseph deu partida no carro e elas adentraram em casa, jogando as mochilas no sofá.

- Eu estou faminta, o que será que tem para almoçarmos? - Hailee disse caminhando para a cozinha, Elizabeth estava deitada no sofá enquanto procurava um canal na TV que passasse algum programa legal.

- Lizzie você vai querer salada? - Perguntou enquanto fazia seu prato, a menina negou e levantou indo para a cozinha preparar seu prato. Depois de preparar um belo prato para almoçar as duas sentaram em frente à TV e almoçaram enquanto assistiam Grey's Anatomy na Sony. Uma hora ou outra Hailee desviava o olhar para a irmã mais nova, ela estava muito calada.

- Como foi na escola hoje? - Hailee perguntou enquanto a série estava no comercial, Elizabeth estava estranha desde que haviam chegado!

- Foi normal. - Deu os ombros e levantou para colocar o prato na pia - Você lava e eu seco? - Hailee assentiu e levantou indo para a cozinha.

- E o seu dia na escola, como foi? - Perguntou enquanto pegava um pano de prato.

- Foi bom, estou conseguindo me enturmar. - Deu os ombros e começou a lavar a louça, Lizzie apenas assentiu e então o silêncio se instalou entre elas.

- Haiz, a mamãe era como a Demi? - Elizabeth perguntou depois de um tempo calada, desde que estava no carro aquela pergunta rondava sua cabeça, será que sua mãe era divertida como Demi? Engraçada e amorosa? Sabia o básico sobre a mãe, o pai falava pouco sobre ela e Hailee não lembrava de muita coisa. Hailee olhou para a irmã e arqueou a sobrancelha, porque aquela repentina comparação? - Eu só queria saber...

- Beth... - Suspirou e desligou a torneira para encarar a irmã, Elizabeth era a que mais sofria por não ter a mãe, estava no começo da adolescência, naquela fase em que as mães são como amigas, aonde elas compartilham sobre o primeiro beijo, sobre o garoto que gosta, sobre a escola e Beth não tinha isso, Hailee também não teve mas conseguiu se virar sozinha, mas Beth era mais frágil e dependente do que ela. - A mamãe adorava cozinhar... - Sorriu com uma lembrança - Ela adorava fazer cookies, bolos, donuts... Ela tinha um sorriso lindo e tudo o que ela fazia, ela fazia com amor. - Elizabeth sorriu ao imaginar a mãe cozinhando com um lindo sorriso no rosto

- Eu queria que ela estivesse viva... Você já imaginou como seria tudo diferente? - Hailee assentiu se concentrando na louça

- Lizzie, eu aprendi que quando Deus tira algo de nós, ele não está nos punindo, está abrindo nossas mãos para nos dar algo melhor. Eu não estou dizendo que a mamãe não era boa o suficiente pra nós, eu só acredito que todos nós temos um propósito na terra e que ela cumpriu o dela, eu sinto que Deus vai nos abençoar grandemente com essa mudança de vida... eu não sei como mas eu só sinto, entende? - Suspirou, desde que recebera a noticia de que iriam se mudar ela sentia algo bom em relação à isso, como se finalmente sua família fosse se libertar do passado e ser feliz de verdade.


Casa da Demi | 04:15 da tarde 

As costas chegara a doer por conta do mal jeito que tinha sentado, havia passado a tarde enfurnada naquele escritório, resolvendo problemas e conversando com clientes por telefone. Demi olhou para o relógio de parede e levantou, se esticou e sentiu as costas estralarem. Estava na hora do café da tarde, sua barriga roncava. Brooklyn estava sentado no tapete da sala jogando vídeo-game. 

- Eu espero que o senhor não tenha passado a tarde na frente desse vídeo-game. - Disse apontando o dedo pra ele, o menino jogava um jogo de futebol, ele olhou para mãe e deu pausa no jogo, sim, ele havia passado a tarde no vídeo-game e Demi sabia bem disso apenas pelo olhar dele de culpado.

- Eu acho melhor você desligar esse vídeo-game agora Brooklyn David! - Demi disse marchando para a cozinha. - Eu vou preparar um bolo de laranja para tomarmos café, ok? E você já para o banho! - O menino revirou os olhos e subiu. Demi procurou pelos ingredientes nos armários e preparou a massa rapidamente, colocou o bolo para assar e subiu para acordar Jacob, ele tinha dormido a tarde toda, Demi se perguntava o que ele tinha aprontado na escola para deixá-lo tão cansado já que era tão difícil ele dormir a tarde. Ela adentrou no quarto do filho mais novo e sentou ao lado dele na cama, dormia tão profundamente que até suspirava, Demi alisou o cabelo dele e beijou-lhe o rosto, o menino se mexeu e virou a cabeça para o outro lado. - Jac, amor, acorda. - Demi disse tirando o cabelo dele dos olhos, o cabelo estava grande, tinha que levá-lo para cortar. 

- Hmm... - O menino resmungou mexendo-se na cama, se deixasse ele dormir a tarde toda, a noite ele não teria sono e para acordar no dia seguinte seria uma luta tremenda. 

- Acorda querido. - Demi acendeu a luz do abajur, Jacob abriu os olhos e fechou logo em seguida, moveu-se novamente na cama e abriu os olhos de vez. - Boa tarde, mocinho. - Ele sorriu para a mãe e sentou na cama. - A mamãe está fazendo um bolo de laranja. 

- Deixa eu dormir só mais um pouquinho? - Estava tão bom ficar deitado em baixo das cobertas que o protegia de todo o frio que fazia lá fora. 

- Nada disso! - Demi levantou e ligou a TV que sempre estava no mesmo canal, Cartoon Network. - Daqui a pouco eu subo pra você ir tomar banho, ok? - Ele assentiu. Demi desceu novamente e começou a preparar o café enquanto colocava a água pra ferver, Demi pensou em Joseph! Ele ficara tão fofo e tímido quando a reconheceu, as bochechas rosadas, o sorriso tímido, ele era um rapaz muito bonito para estar sozinho, será que ele estava sozinho? Que diabos ela estava pensando?

- Mãe? - Brooklyn a despertou de seus pensamentos. O menino adentrou na cozinha com uma calça de moletom cinza e uma regata preta.

- Aonde está esse calor todo que eu não estou sentindo? - Demi arqueou a sobrancelha ao vê-lo com regata, não estava mais chovendo mas ainda sim ventava frio lá fora, apesar de todas as janelas fechadas e o ar condicionado ligado, ela estava com frio.

- Eu não estou com frio. - Brooklyn deu os ombros e sentou num dos banquinhos em volta do balcão da cozinha.

- Por Deus, se você ficar doente eu vou deixá-lo de castigo. - Brooklyn assentiu, sabia que ela não o colaria de castigo, a mãe cuidava dele e o mimava quando ele estava doente.

- Eu estava pensando e podíamos fazer um almoço ou um jantar boas-vindas para Hailee e a família dela. - Demi o olhou e arqueou a sobrancelha, ele não gostava de participar de almoço com os vizinhos. - Eles já passaram por muita coisas e querem recomeçar, eu queria que eles se sentisse acolhidos aqui, sabe? Quero eles gostem daqui e saibam que podem contar com a gente. - Demi sorriu, Brooklyn tinha o coração tão grande e bondoso.

- Nós podemos convidá-los para um jantar no final de semana, o que acha? - Brooklyn assentiu sorrindo, desde que conversara com Hailee e Elizabeth sabia que aquelas garotas eram especiais, sentia um carinho enorme por elas e uma vontade enorme de protegê-las como se elas fossem suas irmãs.

--

Espero que tenha ficado grande, amém? amém!
Essa fanfic está sendo muito bem recebida e eu estou tão feliz...
espero que eu não cague com ela, vamos orar...
Meninas, se vocês quiserem participar da fanfic e tiverem ideias podem colocá-las no comentário, ok?
Se eu usá-las eu darei os devidos créditos, certo?
A Beth já está começando a admirar Demi, e eu só posso dizer que elas serão grandes amigas; ~segura o spoiler~
Os capítulos estão saindo rápido e eu não poderia estar mais satisfeita, espero que continue assim!
Espero que vocês gostem do capítulo
vou tentar não demorar pra postar o próximo.
Respostas dos comentário aqui
bjs., até mais.  

16 comentários:

  1. Infartei aqui..... sério vc a Jessie e a Amanda estão afim de matar as leitoras com suas fanfics. Perfeitas. ������������������������ necessito de mais capítulos. 1 por dia pode ser ?

    ResponderExcluir
  2. Comento e não vai :'(

    ResponderExcluir
  3. Cada dia mais apaixonada por sua fic, posta logo!bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz em saber disso, amor. Vou postar hoje mesmo, bjs!

      Excluir
  4. Leu meus pensamentos no último trecho! Era exatamente o que eu queria!
    Cap perfeito e isso não é novidade!
    Posta logo.
    Bjss,
    MJulia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa ideia me veio de um filme e dai achei que ficaria legal colocá-la na fic.
      Fico feliz que tenha gostado, bjs amor.

      Excluir
  5. Adorandooo!!! Ansiosa pela continuação!!! Posta logooo!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que esteja gostando dessa fanfic.
      Vou postar hoje amor, bjs.

      Excluir
  6. Depois de muito escrever, resolvi dar uma passadinha e fiquei feliz de ver um capítulo novinho por aqui:)
    Let's go!!!
    Percebi que a Katy não vai ter muito trabalho para juntar os dois solteirões, sério. Está tudo acontecendo naturalmente e estou gostando de ver os dois se encontrando por acaso... essa troca de olhares foi muito fofa! sdjsdj O trecho da música lá em cima já disse tudo sobre isso.
    Essa cena do pessoal na escola mexeu comigo, nossa... espero que a Lizzie faça amigos. É realmente complicado se mudar e ter que começar tudo novamente, principalmente arrumar novos amigos. Gostei de ver a Haiz acolhendo a irmã no grupo de amigos e tudo mais, ela é super legal.
    Jacob já roubou meu coração, ele é muito fofo e eu amo crianças assim <3
    Enfim, o capítulo está perfeito e na minha opinião está grande. O.k? o/
    Estou ansiosa para ler mais; poste assim que puder.
    Bjs *

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Katy não vai precisar se esforçar muito, eles vão se gostar naturalmente, e as coisas vão acontecer num piscar de olhos.
      Eu amo troca de olhares, os olhos dizem muitas coisas <3
      Essa música tem tudo haver com a fanfic, ela é uma verdadeira inspiração pra mim, sem contar que eu tenho um relacionamento muito sério com ela, haha!
      Acho que a Lizzie ainda vai sofrer um pouco com essa coisa de fazer amigos e escola. É um verdadeiro saco, passei por isso ano passado e é horrível.
      Hailee é um amorzinho e é muito gentil <3
      Fico feliz que tenha gostado, acho que o próximo ficou pequeno mas é aquele ditado: vamo fazer o que?
      Vou postar ainda hoje, bjs amor.

      Excluir
  7. MUITO LINDO

    Os destino resolveu trabalha no lugar da Katy...gostei,esse jantar de boas vindas vai dar o que falar(eu acho)que lindo eles trocando olhares(fofis)PRECISO DE UMA IRMÃ COMO A HAIZ,sério cara,a Haiz é tão....legal,simpática,linda...quando li o último trecho "como se elas fossem sua irmã" percebi uma coisa....eita porra,vai ser Brooklin e Grace mesmo(pelo menos é o que eu to achando agora)analisei...pensei...repensei....Peter e Haiz combinam,agora eu quero eles juntos viu(se lê mandando)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Katy não vai precisar se esforçar muito.
      Esse jantar vai ser muito fofo, ainda preciso escreve-lo mas já tenho ideias na minha cabeça.
      Sim, vai ser Brooklyn e Grace, até porque o futuro relacionamento de Demi e Joe farão eles serem "irmãos" então seria estranho os dois juntos.
      Será que teremos Haiz e Peter? ~suspense~
      bjs, amor.

      Excluir
    2. Quero muito Haiz e Peter juntos,é fofo😍

      Excluir
  8. Mile por favor posta logo. Estou tendo um infarto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou postar hoje amor, desculpa a demora amor <3

      Excluir