21/11/2019

Skinny Love 2 - Sinopse + Personagens


Até onde você está disposto à ir para alcançar o seu sucesso profissional? Você estaria disposto à riscar tudo? Até mesmo o seu casamento? Pode parecer exagero, mas não para Demetria. Três anos depois de se casar com Joseph, ela está aonde sempre sonhou na vida profissional e na vida pessoal, tem um cargo bom na empresa Mayer, um salário que supre mais do que suas necessidades e reconhecimento, um marido amoroso que sempre está ao seu lado nos altos e baixos e uma filha linda e saudável, tudo parece perfeitamente bem até ela receber uma proposta de um cargo maior na empresa rival. Segredos e mentiras são revelados e o casamento é colocado em risco. Como é possível uma pessoa que costumava ser seu porto seguro virar um estranho tão de repente? 

Parece que há oceanos entre você e eu, mais uma vez. Nós escondemos nossas emoções
sob a superfície e tentamos fingir, mas parece que há oceanos entre você e eu. - Oceans, Seafret

Personagens:

Demetria Jonas | 26 Anos | Arquiteta | Mãe de Alana | Esposa de Joseph 



Joseph Jonas | 30 Anos | Engenheiro Civil | Pai de Alana | Esposo de Demetria



Alana Jonas | 08 Anos | Filha de Joseph e Demetria



Kristen Stewart | 28 Anos | Fotógrafa | Melhor amiga de Demi | Casada com Stella



Stella Maxwell | 29 Anos | Modelo | Casada com Kristen



Selena Gomez | 29 Anos | Guia de Turismo | Melhor amiga de Joseph



Madison Beer | 19 Anos | Estagiária de Engenharia



Nicholas Jerry | 24 Anos | Arquiteto



Jack Falahee | 30 Anos | Engenheiro | Amigo de Joseph



Outros personagens: 

Clarice Lovato | Mãe de Demi 

George Lovato | Pai de Demi 

Kelly Jonas | Mãe de Joseph 

Thomas Jonas | Irmão de Joseph 

24/10/2019

52. The End


TRÊS MESES DEPOIS...

— Joseph, se você não sair daqui agora eu vou te matar, seu desgraçado! — Será que nem no dia do seu casamento ela teria paz? Kristen tentou chutar Joseph que se esquivou e riu da cara da melhor amiga da namorada. 

— Eu não posso nem dar um beijo na minha namorada? Vocês estão trancadas nesse quarto faz mais de duas horas e eu só quero matar a saudade. — Dramático era pouco para descrever aquele homem. Ele não estava ali apenas para matar a saudade da namorada, minutos atrás Kristen quase morreu do coração quando Joseph colocou uma barata falsa em cima do seu vestido. Demi podia jurar que iria perder o namorado de tanto que Kristen o socou.

— Se você não sair desse maldito quarto agora, eu vou cortar o seu pau fora e você nunca mais vai enfia-lo no meio das pernas de mulher nenhuma, seu infeliz. — Era melhor não arriscar. Ele mandou um beijinho no ar para a melhor amiga da namorada e puxou Demi pela mão para fora do quarto, antes que Kristen lhe estrangulasse.

— Amor, você é muito malvado. — Demi disse rindo, não podia negar que havia sido engraçado o modo como Kristen gritou assutada com a barata falsa em seu lindo vestido de noiva. — Qualquer hora dessas Kristen vai te matar e com razão. — Falou o observando atentamente, ele estava muito bonito vestindo um terno azul escuro com uma pequena flor cor de rosa no bolso esquerdo. Demi sorriu e rodeou o pescoço dele com os dois braços.

— Eu já disse que você está maravilhosamente linda com esse vestido? — Joe perguntou dando um selinho rápido nos lábios da namorada. Demi sorriu e assentiu com a cabeça. — Eu tenho certeza que você é a mulher mais bonita dessa festa, mas você ficaria ainda mais linda se estivesse vestindo um vestido igual ao da Kristen.

— Bom, se você fizer o pedido, quem sabe você não me veja num daqueles em breve? — Três meses se passaram e Demi se sentia mais do que preparada para casar com Joseph. Ela havia se formado com méritos na faculdade, havia sido efetivada na empresa de Adam e agora era oficialmente uma arquiteta, eles haviam feito uma viagem incrível para Disney e tudo estava caminhando perfeitamente bem. Joseph sorriu com a carta branca da namorada e deu mais um selinho nos lábios dela.

— Então eu acho que em breve teremos outro casamento para organizar. — Sorriu e Demi assentiu com a cabeça também com um sorriso nos lábios. Organizar o casamento de Kristen e Stella deu trabalho, as noivas brigaram milhares de vezes e Demi sempre intervia todas as vezes, ela havia sido uma chave essencial para que o casamento saísse perfeito e ela não via a hora de ver o resultado final.

— Eu não vejo a hora. — Piscou e riu quando ele beijou seu pescoço porque fazia cócega por conta da barba que estava grande.

— Tem um quarto vazio ali na frente, vamos matar um pouco a saudade? — Perguntou dando vários beijinhos no pescoço dela, Demi suspirou gostando mais do que deveria dos beijos que ele distribuía em seu pescoço, aquele não era um bom momento. — Vamos, bebê? — Demi nem percebeu quando assentiu com a cabeça, apenas riu quando a barba de Joe fez cócegas enquanto eles caminhavam abraçados até o quarto vazio no início do corredor.

— Kristen vai nos matar. — Demi comentou puxando o namorado pela gravata para um beijo. A barba estava grande e ela adorava sentir os pelinhos nas mãos enquanto o beijava e o acariciava no rosto. Demi sorriu entre o beijo quando a mão dele desceu da cintura para acariciar o bumbum por cima do vestido. — Hmm... eu amo você! — Falou com a boca ainda colada na dele. Ela o tocou nas costas e suspirou sentindo o corpo arrepiar com as mãos dele a tocando pelo corpo.

— Esquece um pouco de tudo e vamos focar em nós dois, senti sua falta o dia inteiro. — Ficar um dia todo praticamente sem vê-la foi uma tortura, o dia todo foi uma correria com a organização do casamento e a namorada estava sendo muito requisitada. Joseph sentou no sofá que havia ali no canto do quarto e puxou a namorada para sentar em seu colo. A chácara era enorme e havia mais seis quartos e cada casal de padrinho ficou com um. — Você está linda com esse vestido, essa maquiagem e esse cabelo. — O cabelo dela estava metade preso e metade solto com leves cachos nas pontas. Demi sorriu e deu um selinho nos lábios dele. — Amor, você está de tirar o fôlego.

— Não seja exagerado, querido. — Joe arqueou a sobrancelha e a beijou na bochecha. Para ele, Demi era a mulher mais linda que existia e ele só tinha olhos para ela. — Eu não estou exagerando, você é a mulher mais bonita dessa chácara.

— E você... — Demi disse arrumando a gravata no pescoço dele, ela encarou os olhos verdes escuros e sentiu o coração disparar no peito só de pensar que aquele homem bonito que lhe encarava com um sorriso era todo seu. — É o homem mais gostoso dessa chácara, o mais bonito também. — Sorriu maliciosa e mordeu o lábio inferior de forma provocativa. Joseph a conduziu para deita-la no sofá enquanto a beijava intensamente, aquele era o beijo que os levava direto para a cama. Com certa dificuldade, Joseph conseguiu adentrar o vestido para tocar as coxas grossas e o bumbum.

— Eu não acredito que você está com aquela calcinha. — Disse com a voz rouca perto do ouvido dele. Aquela calcinha era a preferida de Joseph, ele sempre dizia que o bumbum dela ficava magnífico porque a calcinha era minúscula de renda transparente na cor vermelha.

— Surpresa. — Demi disse toda sapeca com um sorriso malicioso nos lábios. — Eu sou completamente, perdidamente apaixonada por você. — Disse sentindo os beijos molhados em seu pescoço. Ela amava tanto aquele homem que o coração acelerava só de pensar no que ele significava para ela. Joseph havia conseguido quebrar todas as barreiras do seu coração a amando incondicionalmente e ela não precisava de mais nada além da família que tinha com aquele homem.

— Eu amo você, amor da minha vida. — Demi sorriu e o puxou para um beijo de tirar o fôlego, ela roçou seu corpo mais ao de Joseph e levou a mão até o membro dele sentindo-o duro e pronto para ela. Só foi uma pena que bateram na porta, chamando os padrinhos para tirar fotos juntos. Demi resmungou alto fechando os olhos e Joe sorriu dando um beijo no pescoço dela. — Depois nós continuamos, meu anjo. — Tinha mulher mais fofa do que Demi quando estava irritada? Joseph levantou arrumando o terno ao corpo e observou sua mulher arrumar o vestido em frente ao espelho.

Os padrinhos estavam em seus devidos lugares para adentrar na igreja. Selena sorriu para Demi e Joseph que estava de mãos dadas logo atrás dela. Foi uma surpresa quando Kristen a chamou para ser uma das madrinhas e ela não teve como dizer não, ela formava par com Ryan que estava só sorrisos de felicidade pela amiga. Demi sorriu de volta e encostou a cabeça no braço do namorado, o coração dela estava acelerado e ela estava tão nervosa.

Os primeiros acordes da música I'll Be There For You da clássica série Friends começou a tocar fazendo todos que estavam acomodados levantar, então os padrinhos começaram a adentrar, um por um e Demi se sentiu emocionada quando o refrão soou "I'll be there for you, cause you're there for me too" aquela música tinha tudo a ver com elas. Uma estava do lado da outra para tudo, compartilhavam segredos, mágoas, risadas, lágrimas e momentos felizes. O coração de Demi se encheu de alegria por estar participando daquele momento tão importante da vida da melhor amiga. Os padrinhos estavam todos acomodados no altar, e então a mãe de Kristen adentrou junto com o namorado ao som de Here Comes The Sun, havia uma banda ao vivo tocando todas as músicas acústicas.

E então quando a música Marry Me do Bruno Mars soou pelo local todos viram as noivas na entrada de mãos dadas, os vestidos que elas haviam escolhido estava de tirar o fôlego. O sorriso no rosto delas transbordava felicidade e estava nítido para todos ali. Demi sorriu para a filha que estava em frente as noivas com uma cesta de flores, Alana começou a dar pequenos passos jogando pétalas de rosas branca de um lado e outro, e logo atrás as noivas adentravam com sorrisos e acenações para todos os amigos e familiares que estavam ali e foram prestigiar o amor das noivas.

— Estamos todos reunidos nessa tarde para celebrar o amor entre Kristen Stewart e Stella Maxwell. — Começou dizer a oficiante. — Vamos aos votos. — Um microfone foi entregue para Stella que cumprimentou a todos e sentiu os olhos marejarem só de olhar para a sua mulher tão linda em sua frente.

— Eu nem acredito que esse dia finalmente chegou. — Sorriu sem tirar os olhos de Kristen. — Eu lembro exatamente o dia que a gente se conheceu, eu te achei tão engraçada e meu coração bateu mais forte por você, mas ao mesmo tempo eu estava com medo de você não retribuir meus sentimentos. E então a gente começou a conversar e eu me apaixonava cada vez mais por você, lembro do nosso primeiro beijo e como você fugiu assustada. Eu pensei que nunca mais iria ver você, mas então você se declarou para mim e acho que foi um dos dias mais felizes da minha vida. Eu nunca pensei que poderia amar alguém como eu amo você, eu estou mais do que pronta para passar o resto da minha vida com você.

— Se alguém me dissesse anos atrás que eu estaria aqui casando com uma mulher, eu diria que é loucura, mas hoje só é o dia mais feliz da minha vida porque eu estou me casando com você. Eu amo tanto você que nem as palavras mais bonitas que eu usasse aqui conseguiria descrever como eu me sinto. Você é a pessoa mais incrível que eu conheço, sempre tem uma palavra carinhosa para me dizer quando eu chego cansada do trabalho, sempre consegue tirar um sorriso do meu rosto quando eu estou triste e sempre conta as piadas mais idiotas que me fazem gargalhar. Eu sei que esse é o primeiro sonho de muitos que ainda vamos viver juntos, amo você Stella.

— Stella Maxwell, você aceita Kristen Stweart, como sua legítima esposa? — Kristen disse um "sim" emocionada. — Promete amar, cuidar e protegê-la na enfermidade ou na saúde, na prosperidade ou na adversidade? E manter-se fiel à ela enquanto as duas viverem?

— Sim, eu prometo. — Disse colocando a aliança no dedo da namorada.

— Kristen Stweart, você aceita Stella Maxwell, como sua legítima esposa?

— Sim.

— Promete amar, cuidar e protegê-la na enfermidade ou na saúde, na prosperidade ou na adversidade? E manter-se fiel à ela enquanto as duas viverem?

— Prometo. — Falou encaixando a aliança do dedo de Kristen.

— Então eu as declaro casadas, podem se beijar. — Os aplausos tomaram conta do local e as duas trocaram um beijo apaixonado. A banda começou a tocar My Girl e todos se levantaram para dar suas felicitações para as noivas.

Havia um salão na chácara que era aonde estava sendo servido o almoço. E depois de parabenizarem as noivas foi para lá que os convidados foram. Tudo estava impecável, havia um buffet especializado e garçons servindo as mesas. O cardápio era super variável e atendia tanto os adultos quanto as crianças. O almoço foi super agradável e enquanto eles almoçavam, a banda contratada pelas noivas tocava músicas calmas e agradáveis de se ouvir.

— Ei, o que vocês estão fazendo? — Demi perguntou de mãos dadas com o namorado. Eles já tinham almoçado e enquanto Alana almoçava junto com os avós, eles aproveitaram para ir cumprimentar algumas pessoas que não tiveram tempo de cumprimentar mais cedo.

— Bebendo e apostando quem vai ficar mais bêbado essa noite. — Selena disse dando um gole na cerveja gelada, por enquanto ela estava apenas aquecendo, não via a hora da festa realmente começar. Selena havia terminado seu namorado há duas semanas, a distância não contribuiu para que o relacionamento dela desse certo, apesar de gostar muito dele. Demi tocou o ombro da melhor amiga do namorado e franziu o cenho quando viu Joseph sentado ao lado dela servindo um shot de vodka para si. — Eu aposto que é o Joe que vai ficar mais bêbado essa noite. Se ele ainda for o velho Joe né.

— Eu e a Demi só vamos sair daqui quando estiverem limpando as coisas, estamos nos abastecendo bem. — Joe brincou se referindo ao fato deles estarem comendo demais para depois conseguirem beber sem grandes problemas. Selena bateu palmas animada e sorriu para Demi porque teria companhia para beber. — Sentem-se aqui, nós vamos brincar de "Eu nunca". — Estava nítido que Selena já estava elevada, ela ria de qualquer coisa e estava bem animadinha. Havia alguns padrinhos sentados na mesa também e dois deles eram Alex e Ryan. — Se você já fez bebe, se nunca fez não bebe.

— Vamos lá, eu nunca transei em um lugar público. — Joseph olhou para a namorada e virou o shot de vodka. Demi sentiu as bochechas corarem ao lembrar da noite em que eles estavam jantando e tiveram uma rapidinha no banheiro do restaurante. Só ela achava aquela brincadeira um pouco comprometedora? — Demetria, pode beber. — Selena disse entregando o copo com o líquido transparente dentro.

 — Eu nunca recebi uma oral dentro do carro. — Selena olhou para todos os que estavam naquela mesa e riu vendo somente os garotos virarem o copo. Joseph sorriu malicioso e virou o copo junto com Ryan e Alex.

— Acho que está na hora dos homens começarem a fazer uma oral dentro do carro, ao invés de só receber. — Uma das garotas que estavam na mesa disse e Selena assentiu concordando com ela.

— Eu tenho uma! — Selena disse levantando a mão e sorriu maliciosa mordendo o lábio inferior. — Eu nunca transei com mais de uma pessoa. — Demi não era nenhuma santa, mas quando viu Selena, Alex e mais um cara beber, ela sentiu-se a mulher mais pura da fase da terra. — Joseph, pode beber. — Demi franziu o cenho e encarou o namorado sentado ao seu lado, ele bebeu e Demi deu um tapa nele.

— Eu nunca mandei nudes! — Demi e todos os que estavam na mesa beberam.

— Ok, já chega! — Demi disse levantando e puxando o namorado pela mão, se ele continuasse ali, todos iriam ficar sabendo da vida sexual dele.

— Não seja uma estraga prazeres, senta aqui com a gente. — Alex falou porque a brincadeira estava divertida e todos estavam rindo e zoando uns aos outros.

— Ela está com medo da gente descobrir que ela não é uma santa. — Por que Ryan tinha que ser tão babaca? Selena deu um tapa forte no braço dele e o xingou de idiota.

— Cara, da próxima vez que você abrir a sua maldita boca para falar da minha namorada eu vou te socar, só não te soquei ainda porque não quero estragar o casamento da minha amiga, mas se você não pensar duas vezes antes de se referir a minha mulher, eu vou quebrar os seus dentes e você sair daqui direto para a porcaria de um dentista. — Joseph falou com a mandíbula travada o encarando seriamente.

— Ei, ei, ei, nada de brigas por aqui, ignore-o. — Demi pediu entrando na frente do namorado porque ela não queria estragar o momento da melhor amiga e da esposa dela. Demi pediu licença e puxou o namorado para bem longe daquela mesa. — Por favor, não arruma nenhuma briga. — Disse tocando o peito dele por cima do paletó que já estava dobrado até a altura dos cotovelos.

— Eu não vou, amor. — Tranquilizou-a dando um beijo carinhoso na testa dela. Demi sorriu e o abraçou apertado, enquanto eles caminhavam até a mesa aonde George, Clarice e Kelly estavam. O tempo havia passado e eles decidiram deixar as diferenças de lado, não era melhores amigos, mas se respeitavam.

— Nós estávamos comentando como o vestido de Kristen e Stella está lindo, e eu mal posso esperar para ver você num desses, minha filha. — Clarice disse com lágrimas nos olhos, Demi sentiu as bochechas corarem e sentou ao lado da mãe sendo puxada para um abraço apertado e ela não reclamou porque estava adorando ser mimada pela mãe.

— Em um futuro não muito distante vocês terão um casamento para organizar e me deixar louco. — Joseph comentou dando um gole no champanhe que havia acabado de pegar com o garçom que passou oferecendo. Demi franziu o cenho quando a filha sentou no colo do papai e eles começaram a cochichar baixinho um no ouvido do outro.

— Eu não vejo a hora, minha filha. Você vai ficar linda com um vestido de noiva branco com um enorme véu, eu conheço uma estilista maravilhosa caso você queira um vestido exclusivo só para você. — Clarice dizia sem parar, animada com a ideia da filha se casar.

— Vovó, o que é isso perto do seu prato? — Alana perguntou com um sorrisinho no rosto e quando Clarice olhou para o prato se assustou e deu um grito levantando e chamando atenção de algumas pessoas que estavam ali em volta. Joseph ainda ia matar alguém com aquelas baratas de mentira.

— Joseph, você quer me matar do coração? — Clarice perguntou com a mão no peito quando percebeu que era uma barata falsa. Alana e Joseph estavam rindo sem parar, e Demi deu um tapa no braço dele. — Ele quer matar a sogra dele. — Disse respirando fundo depois do susto.

— Ai vovó, você deveria ver a sua cara. — Alana disse sem parar de rir fazendo todos os que estavam na mesa darem risada porque a gargalhada da menina era contagiante igual a da mãe. Depois de um tempo o salão aonde eles estavam almoçando foi se esvaziando e o lugar aonde a festa realmente iria acontecer estava lotando. A música Because You Loved Me da Celine Dion chamou atenção de todos que estavam no salão e as noivas estavam de mãos dadas no meio do salão.

Por todas aquelas vezes que você me apoiou
Por toda a verdade que você me fez enxergar
Por toda a alegria que você trouxe para minha vida
Por tudo de errado que você transformou em certo
Por todo sonho que você tornou realidade
Por todo o amor que encontrei em você, eu serei eternamente grata, meu bem
Você é quem me sustentou
Nunca me deixou cair
Você é quem me apoiou, através disso tudo

Não tinha como não se emocionar, era só prestar atenção na forma como elas se olhavam que estava nítido o amor e o companheirismo que uma sentia pela outra, era de deixar qualquer um com um sorriso no rosto. Demi sorriu e deitou a cabeça no ombro de Joseph, observando as duas dançarem.

Você foi minha força quando eu estive fraca
Você foi minha voz quando eu não podia falar
Você foi meus olhos quando eu não podia ver
Você enxergou o melhor que havia em mim
Me ergueu quando eu não conseguia alcançar
Você me deu fé, porque você acreditou
Eu sou tudo o que sou, porque você me amou

Você me deu asas e me fez voar
Você tocou minha mão, eu pude tocar o céu
Eu perdi minha fé, você devolveu-a pra mim
Você disse que estrela nenhuma estava fora de alcance
Você me apoiou e eu fiquei de pé
Eu tive seu amor, eu tive isso tudo
Sou grata por cada dia que você me deu
Talvez eu não saiba tanto assim, mas eu sei que isto é verdade
Eu fui abençoada, porque fui amada por você

— Elas são tão lindas. — Demi disse baixinho apenas para o namorado ouvir, ele assentiu com a cabeça e entrelaçou suas mãos, dando um beijo em suas mãos entrelaçadas. Demi se inclinou para dar um beijo demorado na bochecha dele e sorriu quando ele virou-se e o beijo na bochecha acabou se transformando em um selinho. — Amo você, amo você, amo você! — Demi repetiu várias vezes sentindo o coração bater mais rápido de amor por aquele homem bonito.

Você sempre esteve lá para mim
O vento carinhoso que me levava
Uma luz no escuro brilhando seu amor na minha vida
Você tem sido minha inspiração
Em meio a mentiras, você foi a verdade
Meu mundo é um lugar melhor por sua causa

Você foi minha força quando eu estive fraca
Você foi minha voz quando eu não podia falar
Você foi meus olhos quando eu não podia ver
Você enxergou o melhor que havia em mim
Me ergueu quando eu não conseguia alcançar
Você me deu fé, porque você acreditou
Eu sou tudo o que sou, porque você me amou

E então Can't Take My Eyes Off You começou a tocar e as noivas chamaram os casais para dançar junto com elas. Demi sorriu quando teve sua mão entrelaçada por Joseph que a puxou para o meio da pista, tocou a cintura dela e se inclinou para dar um breve selinho nos lábios que ele tanto amava.

Você é linda demais para ser verdade
Não consigo tirar meus olhos de você
Você seria como o céu para tocar
Eu quero tanto te abraçar
Finalmente o amor chegou
E agradeço a Deus que estou vivo
Você é linda demais para ser verdade
Não consigo tirar meus olhos de você

Perdoe o jeito como eu te olho
Não existe nada mais para se comparar
A sua visão me deixa fraco
Não sobram palavras para falar
Mas se você sente-se como eu me sinto
Por favor, deixe-me saber que é real
Você é linda demais para ser verdade
Não consigo tirar meus olhos de você

Quão lindo era aquele homem cantando cada letra daquela música olhando em seus olhos? O coração chegava a disparar no peito de tão apaixonada que ela estava. O sorriso estava estampado nos lábios mostrando como ela estava feliz. Os braços enlaçaram o pescoço de Joseph e ela sussurrou que o amava demais.

Joseph sorriu e tocou o rosto dela carinhosamente. Ele tinha certeza que não tinha mulher mais bonita do que aquela. O sorriso tão bonito, os lábios rosados e bem desenhados, os cabelos lisos tingidos de loiro, os olhos marrons eram tão doces e bonitos, o corpo cheio do curvas e ele adorava passear suas mãos por cada parte do corpo daquela mulher, toda vez que a olhava Joseph tinha a mais plena certeza que era um homem de muito sorte e jamais seria grato o suficiente por ter aquela mulher na sua vida.

Eu amo você, querida
E se está tudo bem
Eu preciso de você, querida
Para aquecer as noites solitárias
Eu te amo, querida
Acredite em mim quando eu digo

Oh, linda menina
Não me deixe deprimido, eu imploro
Oh, linda menina
Agora que eu te encontrei, fique
E deixe-me te amar, querida
Deixe-me te amar

Você é linda demais para ser verdade
Não consigo tirar meus olhos de você
Você seria como o céu para tocar
Eu quero tanto te abraçar
Finalmente o amor chegou
E agradeço a Deus que estou vivo
Você é linda demais para ser verdade
Não consigo tirar meus olhos de você

Não era apenas o físico que lhe encantava naquela mulher, era muito além disso. A risada alta e escandalosa alegrava o seu coração sempre que a ouvia, o jeito amoroso, carinhoso e paciente que ela tinha de lidar com Alana, a forma como ela gostava de ensinar e explicar tudo pacientemente para a garotinha curiosa. Como ela cuidava dele, sempre perguntando se ele tinha se alimentado, se estava bebendo água regularmente. A forma como ela se irritava com os cachorros quando eles comiam alguma de suas sandálias, mas minutos depois estava sentada no tapete dando carinho e brincando com eles. A preocupação que ela tinha com seus amigos, sempre disposta à ajudar e como ela era focada no que queria. Era muitas coisas que ele admirava nela e seria impossível descrever, ele só conseguia olhar para o céu e agradecer aquele presente.


— Pai, vem dançar comigo. — Alana o chamou puxando-o pela mão quando a música Girls Like You do Maroon 5 começou a tocar e os convidados se levantaram para dançar. Só deu tempo de dar um breve selinho em Demi, Joseph pegou a garotinha no colo e começou a dançar pelo salão. Alana gargalhava porque vez ou outra Joe rodava com ela e a jogava no ar. — Porque garotas como você passam tempo com caras como eu até o sol se pôr, quando eu chegar, eu preciso de uma garota como você, yeah yeah... — Joe cantarolou para a filha com um sorriso no rosto. Aquela garotinha era fruto do amor dele com a mulher que ele amava, era a sua menina e ele sempre daria o seu melhor para cuidar, proteger e dar uma vida boa para ela.

— Eu te amo, papai. — Alana disse tocando a bochecha dele com a mãozinha, ela sorriu e deu um beijinho no nariz de Joseph, que a beijou várias e várias vezes na bochecha repetindo que a amava muito. — Eu te amo do tamanho do universo.

Eu amo você, querida
E se está tudo bem
Eu preciso de você, querida
Para aquecer as noites solitárias
Eu te amo, querida
Acredite em mim quando eu digo

Oh, linda menina
Não me deixe deprimido, eu imploro
Oh, linda menina
Agora que eu te encontrei, fique
Oh, linda menina
Acredite em mim quando eu digo...
***

Demi abriu os olhos porque a claridade tomava conta de todo o quarto. Sentiu a cabeça doer como se tivesse levado uma pancada forte na cabeça, maldita seja a ressaca, ela nunca mais iria beber na sua vida. Demi resmungou quando tentou se levantar e sentiu o corpo todo doer, Joseph estava dormindo como uma pedra ao seu lado e detalhe: os dois estavam nus. Demi fechou os olhos e tentou se lembrar de algo da noite anterior, mas ela só se lembrava de até um certo ponto, tudo o que sabia era que ela e Joe haviam ultrapassado todos os limites no quesito bebida, eles bebiam tudo o que viam pela frente. Ela levantou mesmo o corpo gritando pela cama e adentrou no banheiro para fazer sua higiene matinal.

O que diabos era aquilo? Ela estava acabada. Demi xingou ao ver que seu cabelo parecia mais um ninho de passarinho de tão bagunçado e embaraçado que estava, a maquiagem estava toda borrada porque ela não tinha se dado o trabalho de tirar, aliás, ela nem lembrava como havia ido parar na cama. Demi escovou os dentes e adentrou na ducha morna e por lá permaneceu por volta de quinze minutos.

Pentear o cabelo deu trabalho e como deu, ela estava quase desistindo e pegando uma tesoura para cortar e praguejou por ter os cabelos tão grande. Adentrou novamente no quarto e procurou por uma calça jeans e uma blusa preta de manga cumprida, observou o namorado literalmente apagado na cama, fechou as cortinas e o cobriu até a cintura.

— Acordou a bela adormecida. — Que horas eram? Demi se perguntou quando adentrou no pátio aonde havia acontecido o jantar na noite passada e encontrou alguns convidados mais próximos à noiva sentados em uma mesa cumprida. — Minha filha, você está péssima. — Clarice disse observando a filha com uma cara na agradável.

— Eu preciso de uma aspirina e um café forte. — Resmungou puxando uma cadeira para sentar ao lado da mãe. — Por que vocês já estão almoçando? — Perguntou olhando para o prato da mãe. — Eu nunca mais vou beber na minha vida, eu juro.

— Você não é a primeira a falar isso hoje, querida. — Kim disse tocando-a no ombro e entregando um copo de água e um comprimido que Demi nem se deu ao trabalho de perguntar o que era, foi logo colocando na boca e empurrando o comprimido com água. — E já são quase duas horas da tarde.

— Cadê minha filha? — Demi perguntou ao notar que ainda não tinha visto a garotinha que tinha ido para cama cedo na noite passada junto com a mãe de Joe.

— Ela está conhecendo o sitio com o seu pai. — Clarice disse com um sorriso. Alana conseguia fazer George de gato e sapato, tudo o que ela pedira o avô fizera sem reclamar, até mesmo engatinhar com ela sentada em suas costas por volta do salão, e quando Alana pediu para conhecer o lago aonde tinha filhotinhos de patos, George não pensou duas vezes antes de ir com a menina.

— Aonde o Joe está? — Kelly perguntou se aproximando com um prato de frutas em mãos. Ela sentou de frente para Clarice e mordeu um pedaço do abacaxi.

— Ele está dormindo igual uma pedra, acho que não vai acordar tão cedo. — Fez careta e negou com a cabeça quando a mãe perguntou se ela queria almoçar, ela tinha certeza que não iria comer nada durante todo o dia porque o estômago embrulhava e Demi não queria vomitar. — Eu vou levar um comprimido pro Joe, quando Alana voltar, a senhora leva ela no meu quarto, por favor? — Clarice assentiu e Demi levantou depois de pegar uma garrafa d'água e uma cartela de comprimido.

Joseph ainda estava do mesmo jeito que ela havia deixado, Demi só sabia que ele estava vivo porque o peito subia e descia conforme ele respirava. Demi colocou a garrafa e a cartela de comprimido no criado-mudo ao lado da cama, tirou os chinelos e deitou ao lado do namorado o abraçando pela cintura e enfiando a cabeça por baixo do braço dele. Joseph disse algo inaudível e puxou Demi para deitar-se em seu peito.

— Bebezão acorda. — Demi disse dando um beijinho no peito e depois no pescoço, porém Joseph nem mesmo se mexeu. — Amor, acorda. — O chamou mais próximo ao ouvido dele, não seria nada legal se Alana chegasse no quarto e encontrasse o pai dormindo nu. — Joseph, acorda. — Demi deu um leve empurrão nele e Joe resmungou piscando os olhos.

— Que merda é essa? — Perguntou sentindo a cabeça doer. Ele piscou algumas vezes antes de abrir os olhos totalmente. — Amor, me deixa dormir mais três horas seguidas. — Pediu a puxando para debaixo de si. Demi riu alto e resmungou tentando se livrar dos braços dele. — Por que você já está vestida? — Perguntou quando tocou o bumbum e sentiu o tecido da calça jeans.

— Amor, você precisa acordar, já são duas horas da tarde e daqui a pouco a sua filha vai entrar por essa porta e você está como veio ao mundo. — Sorriu sapeca e tocou o membro que estava duro como uma pedra. — Tem aspirina no criado-mudo e água, eu estou querendo tomar um belo copo de café, mas acho que não vou encontrar café por aqui duas horas da tarde.

— Maldita ressaca. — Resmungou esticando o braço para alcançar a garrafa de água e o comprimido. — Você se divertiu ontem, amor? — Perguntou com um sorriso divertido nos lábios, diferente de Demi, ele lembrava de tudo o que havia feito e falado durante toda a madrugada, Joe era mais acostumado com o álcool.

— Eu me lembro só até uma determinada parte, eu nem lembro como eu vim parar aqui. — Deu os ombros e sorriu quando recebeu um beijo na bochecha antes de Joseph levantar para usar o banheiro. Demi aproveitou e procurou pelo celular no quarto e o colocou para carregar, o celular encheu de mensagem assim que ela o ligou e ela aproveitou o tempo que o namorado estava no banheiro para responder os amigos.

— Você não se lembra nem da noite selvagem que tivemos? — Joseph perguntou minutos mais tarde quando saiu do banho vestindo uma bermuda. Ele sorriu malicioso e engatinhou até a namorada. — Você não se lembra de como fodemos que nem dois animais e você ainda queria mais? Querida, você esgotou todas as minhas forças. — Demi arqueou a sobrancelha e Joseph a beijou no pescoço. — Se você quiser, eu posso te fazer lembrar de cada detalhe. — Mordiscou a orelha e Demi lhe deu um tapa no braço. — Eu estou brincando amor, não fizemos nada, aliás, você estava dançando em cima da mesa e eu tive que te tirar de lá porque os babacas estavam comentando, então eu te trouxe para cá e você não conseguia nem falar, tirar sua roupa deu trabalho, mas você já estava sem calcinha da rapidinha que tivemos horas antes.

— Disso eu me lembro bem. — Demi disse mordendo o lábio inferior. Eles tiveram uma rapidinha atrás de uma árvore um pouco afastada de onde a festa acontecia. — Mas acho que você está esquecendo de uma coisa. — Disse Demi segurando o rosto dele com as duas mãos pensando em como ele ficava bonito com o rosto inchado de sono, os olhos verdes até brilhavam só dele estar olhando para ela e a tocando na cintura.

— E o que é? — Perguntou pensativo.

— Meu beijo de bom dia. — Respondeu e segundos depois a boca de Joseph estava sobre a dela num beijo lento e quente. Ele induziu Demi a deitar-se na cama em meio aos travesseiros, ela abriu a pernas e o acolheu entre elas.

— Eu amo quando você veste calça jeans, mas nesse momento eu estou odiando. — Falou quando terminou o beijo para olha-la. — Acho que tem mais uma coisa que você não se lembra. — Sorriu quando Demi sorriu perguntou o que era. — Você aceitou o meu pedido de casamento.

— Bom, se você levou a sério, você está tremendamente ferrado porque eu em sã consciência jamais me casaria com você. — Disse com um sorriso brincalhão nos lábios, Joseph arqueou a sobrancelha a olhando com atenção. — A menos que você me prove que vale à pena eu me sacrificar e casar com você.

— Querida, quando eu terminar, você vai querer estar comigo pelo resto da sua vida, até em outras vidas se existir. — Disse e logo a beijou sem dar-lhe a chance de responder. Demi adentrou as mãos no cabelo e puxou levemente, suspirou quando sentiu as mãos descerem pela cintura e apertar o bumbum por cima do jeans.

— Demi? — Quando ouviu a voz da mãe do lado de fora do quarto aonde eles estavam, Demi empurrou o namorado levemente pelo ombro e levantou para atender a porta, quando sentiu o tapa que recebeu no bumbum o xingou baixinho e arrumou o cabelo.

— Mamãe, nós estávamos vendo os patinhos e a tia Stella jogou a tia Kris dentro da piscina. — Alana disse subindo na cama para ficar ao lado do pai, aqueles dois não se desgrudavam quando estavam juntos, Alana colocava o pai no céu.

— Então estão fazendo uma festa na piscina sem mim? — Joseph perguntou brincalhão, Alana assentiu rindo e gargalhou quando o pai fez cócegas na sua barriga. — Acho que devemos ir participar dessa festa também, o que acha?

— Eu acho uma ótima ideia. — Alana comemorou animada, pulando em cima da cama.

A tarde foi longa naquela chácara, eles brincaram na piscina e depois tomaram café da tarde todos juntos conversando e dando risada. A estrada de volta para casa foi longa, eles escutaram músicas, ouviram Alana contar piadas, e conversaram sobre o casamento quando Alana dormiu. Demi também cochilou e quando estavam chegando perto de casa, ela acordou e se espreguiçou estranhando o caminho. — Aonde estamos indo, bebê? — Perguntou curiosa esticando o braço para fazer carinho no cabelo da nuca do namorado.

— Eu tenho uma surpresa para vocês. — Joseph respondeu com um sorriso nos lábios, ele a olhou brevemente e voltou sua atenção para estrada, deixando Demi curiosa ao seu lado. — Nem adianta me chantagear que eu não vou dizer, espere que nós já estamos chegando. — Era sempre da mesma forma, quando ele tinha uma surpresa para ela, Demi sempre o chantageava para ele contar, ela sempre o ameaçava com greve de sexo.

— Você não deveria ser um namorado tão mal com sua namorada curiosa. — Demi disse acariciando a nuca dele com as pontas das unhas. Joseph riu e piscou para ela. — Joseph! — Resmungou ao vê-lo calado concentrado na estrada, estava claro que ele não iria dizer nada e menos de dez minutos ele estacionou o carro em frente à um condomínio fechado. — O que estamos fazendo aqui? — Perguntou estranhando.

Ela saiu do carro quando o namorado saiu e o ajudou a pegar a filha que acordou não muito diferente de Demi, curiosa para saber o que eles estavam fazendo ali. Joseph tocou o interfone, se identificou e logo o portão grande abriu. Joe sorriu para a namorada e entrelaçou suas mãos enquanto eles caminhavam pela rua, o hall do condomínio era enorme e tinha um pequeno jardim e do lado um pequeno parquinho aonde algumas crianças brincavam. As casas enormes com grandes jardins na frente eram de dois andares e era uma mais bonita do que a outra. E então eles pararam em frente à uma casa que estava com uma placa escrito "Vende-se"

— Que casa linda, papai. — Alana comentou observando a casa grande e bonita de dois andares.

— Joseph, o que você está fazendo? — Demi perguntou quando ele abriu a porta de entrada da casa. Ela não queria acreditar no que ele estava fazendo, o sorriso sapeca nos lábios dele entregava tudo. — Você comprou essa... uau. — Os olhos até brilharam ao entrar na sala enorme, céus, era tão bonito.

— Bom, eu ainda não comprei essa casa, mas se você gostar, ela pode ser nossa. — Disse sorrindo ao ver os olhos da namorada brilhando em admiração, ele havia tido a mesma reação quando viu aquela casa pela primeira vez. Aquela seria uma boa casa para ele e Demi começarem a vida, o condomínio era bom e seguro para Alana e os outros filhos que ele pretendia ter com Demi.

Cada detalhe que Joseph mostrava da casa, Demi se apaixonava um pouquinho mais e Alana não ficava atrás, a garotinha pulava de alegria e dizia que queria morar naquela casa. Ao todo, a casa havia três quartos, quatro banheiros, uma área pequena de jogos, uma sala de estar, uma sala de jantar, uma cozinha, e um enorme quintal com uma piscina. Demi estava sem folego e sem palavras para descrever o quanto ela havia gostado daquela casa e ela estava localizada no bairro que ela morava.

— E então, o que me diz? — Joseph perguntou quando eles terminaram o tour pela casa na área da piscina. Demi o olhou com um sorriso no rosto e suspirou de tão apaixonada por aquela casa. Ela assentiu com a cabeça e o abraçou.

— Eu te amo tanto. — Disse baixinho no ouvido dele com o coração disparado no peito, ela estava mais do que pronta para passar o resto da vida junto daquele homem, ao lado dele, ela sentia que poderia enfrentar qualquer obstáculo. — Eu adorei a casa, é de tirar o fôlego, eu definitivamente moraria aqui.

— Bom, então a casa é nossa. — Joseph respondeu e observou o sorriso nascer nos lábios dela e a feição surpresa no rosto.

— Amor, você está falando sério? Não, eu... céus, eu nem sei o que dizer, você é louco? — Perguntou sem acreditar e quando Joseph ajoelhou, ela poderia jurar que o coração sairia pela boca e então quando ele tirou a caixinha preta de veludo, as lágrimas começaram a descer sem cessar, ela não conseguia acreditar que ele estava fazendo aquilo.

— Demetria Lovato, você aceita casar comigo? — Joe perguntou abrindo a caixinha, Alana gritou animada e bateu palmas dando pulinhos felizes. O anel tinha pequenos diamantes cravejados em sua volta e um maior no meio, era a coisa mais linda e Demi não estava acreditando que ele estava mesmo fazendo aquilo.

— É claro que eu aceito, meu amor. — A voz saiu embargada por conta do choro, Joseph sorriu também emocionado e colocou o anel no dedo anelar e levantou a abraçando pela cintura. Demi segurou o rosto dele com as duas mãos e o beijou apaixonada. — Eu te amo, eu te amo tanto, te amo com tudo o que há em mim. — Falou dando vários selinhos nos lábios dele. Joseph sorriu e acariciou o rosto bonito sem nenhuma maquiagem, as bochechas coradas e as sardinhas aparecendo era de tirar o fôlego, ela era incrivelmente linda.

— Eu também te amo, você é o amor da minha vida, você e Alana. Eu estou mais do que pronto para darmos esse passo, para vivermos toda nossa vida juntos, até ficarmos velhinhos. Eu me apaixonei por você anos atrás e eu sei que é você e mais ninguém.

— Meu papai e minha mamãe vão se casar e nós vamos ser felizes para sempre! — Alana disse levantando os bracinhos de animação fazendo eles darem risadas. Era isso, eles seriam felizes e naquele momento, nada poderia ficar entre eles.

--

bom, é isso. 
último capítulo da primeira temporada, o que acharam? eu até que gostei do capítulo, apesar de ter ficado pequeno. 
me digam nos comentários o que acharam e volto logo com a sinopse da segunda temporada e a lista de personagens, preparadas? 
até logo, bjs amores <3 p="">


29/09/2019

51. Thanksgiving Day


 — Eu não sei se eu vou me sentir confortável com Kelly lá, nós nunca fomos amigas. — Clarice disse mordendo brevemente o lábio inferior para depois encarar a filha, elas estavam no carro em direção ao apartamento de Demi, haviam acabado de sair do supermercado aonde tinham comprado as coisas para preparar o prato que iriam levar para o apartamento de Kim aonde aconteceria o almoço de ação de graças e depois iriam jantar na casa de Adam. — Vocês duas se dão bem? — Perguntou encarando a filha de forma curiosa. 

— Não somos melhores amigas, mas nos respeitamos. No começo era mais difícil, mas acho que agora ela aceitou melhor a minha relação com Joseph e me respeita. — Deu os ombros focada na estrada. — O Joe prometeu que ela se comportaria, eu também não estou muito confortável, pelo o que foi falado, vai ser um jantar grande com amigos e familiares, eu só vou porque é importante para Joe. E eu preciso que a senhora vá para me fazer companhia. — Encarou a mãe quando parou no sinal vermelho e fez a melhor cara pidona que conseguiu, a mesma que Alana fazia para ela.

— E quando você e Joseph fugirem para namorar? Eu vou ficar sozinha. — Clarice disse para pirraçar a filha que logo estava com as bochechas vermelhas. — Essa noite eu acordei de madrugada para beber água e escutei vocês dois conversando. — Ah não. Clarice estava no apartamento de Demi enquanto estivesse em Los Angeles e por isso Demi estava evitando o máximo ter relação com Joe e na noite passada ele estava tentando convencê-la de transar. — Se vocês dois não estão namorando por minha causa, eu posso voltar para o hotel... não quero atrapalhar a rotina de vocês.

— Não mãe, vocês não está atrapalhando, é que... — Ela não queria conversar sobre sua vida sexual com a sua mãe, era estranho. — Ah mãe. — Disse com as bochechas mais vermelhas que pimentão. — Não tem nada a ver com a senhora, e é estranho conversar sobre isso com você. — Se fosse Kristen, ela não teria problema nenhum em estar conversando sobre suas noites de amor com o namorado, nos mínimos detalhes porque era assim que elas eram. 

— Querida, você já é adulta e é normal adultos fazerem sexo, quando você era mais nova, você tinha vergonha de me contar sobre seus namorados e isso resultou em uma dor de cabeça enorme. — Demi sabia sobre o que a mãe estava se referindo. Ela umedeceu os lábios e assentiu, não respondeu nada porque não queria começar uma briga com a mãe, elas estavam se dando tão bem nos últimos dias e não queria estragar aquele momento entre elas. 

— Eu e Joseph não estamos nos cuidando da forma que deveríamos, eu fiquei preocupada e minha menstruação acabou atrasando, eu fiz um teste de gravidez lá na empresa e deu negativo, acho que de tanto alívio minha menstruação desceu no outro dia e desde então estávamos sem sexo. — As bochechas vermelhas ainda estavam lá, mas foi bom contar para a mãe que havia feito um teste porque até então só Kristen estava ciente. — Ele acha que não estamos fazendo amor porque você está no apartamento. 

— Se vocês querem evitar um bebê, vocês precisam se cuidar, se proteger, se continuarem transando sem nenhuma proteção, em nove meses teremos um bebê chorando pela casa. — Demi fez uma careta e apertou o botão da chave eletrônica que abriria o portão da garagem do condomínio para ela adentrar com o carro. 

— Eu não quero outro bebê, mas Joseph quer, ele sempre diz que quer ter muitos filhos, mas agora não é um bom momento, eu meio que sinto que ele fica um pouco frustrado quando eu falo que não quero ter outro bebê, mas ele me respeita e por isso eu não contei nada, eu não queria que ele criasse expectativas. — Mordeu o lábio inferior pensando na situação e desligou o carro assim que estacionou na sua vaga. — Enfim, a Kim disse que vai servir o almoço uma hora. — Disse verificando a hora no celular para trocar logo de assunto, elas ainda tinham duas horas para preparar o prato que iriam levar. Demi desceu do carro junto com a mãe, pegou as sacolas de compras no porta malas e adentrou no elevador. 

— Você já sabe o que vai preparar? Eu acho que vou fazer batatas recheadas. — Clarice comentou focada no celular porque estava trocando mensagem com o marido, ele estava em seu horário de descanso e estava mandando fotos do lugar. — Seu pai disse que está com saudade. 

— Eu também estou com saudade dele, eu queria tanto que ele estivesse aqui com a gente. — O elevador abriu as portas no andar do apartamento em que Demi morava e elas saíram, adentrando no apartamento logo em seguida, a casa estava quieta porque Joe havia saído para jogar futebol no parque e havia levado os cachorros e Alana estava no apartamento de Kristen ajudando ela a cozinhar. — Eu acho que vou preparar alguma torta de sobremesa, talvez uma torta de maçã. — Carregou as compras para a cozinha e guardou cada coisa em seu devido lugar para ficar mais fácil de se encontrar quando começasse a cozinhar. 

— Os seus avós ficaram muito triste quando souberam que nós não iriamos passar o fim de ano com eles. — Clarice comentou procurando pelas panelas para começar a cozinhar as batatas porque até assa-las já era o tempo de descerem para almoçar. — E eu acho que já está na hora da senhorita ir fazer uma visita. — Demi assentiu mordendo o lábio inferior, desde que saiu da casa dos avós para morar em LA ela não tinha ido visita-los, era sempre eles que iam até Los Angeles para vê-la. — Eles já estão velhos e viajar não é confortável para eles. 

— Joseph deu a ideia de fazermos uma viagem quando eu me formar, Alana quer ir para Orlando conhecer a Disney, acho que posso conversar com ele para irmos para casa dos meus avós passar pelo menos cinco dias e depois irmos para Orlando. — A ideia dos avós conhecer Joseph era animadora, sempre que conversava com a vó por chamada de vídeo ela mostrava interesse em conhecê-lo e os dois até conversavam como se já fossem íntimos. 

— Demi, você tem certeza sobre Joseph? — Clarice perguntou fitando os olhos da filha com seriedade. Demi umedeceu os lábios com o cenho franzido com a pergunta repentina da mãe, mas assentiu prontamente porque ela não tinha nenhuma dúvida. Era ele. Joseph era o homem que ela iria casar e construir um futuro.

— Tenho, como eu nunca tive certeza de nada antes. 

— Eu só quero que você seja feliz, minha filha. Se você acha que ele é o homem certo para você, então saiba que eu apoio vocês e pode contar comigo sempre que precisar. — Demi sorriu feliz com a declaração da mãe e a abraçou pela cintura feliz da vida por saber que finalmente tinha o apoio que tanto queria dos pais.

— Meus amores, voltei. — Joseph anunciou soltando os cachorros das coleiras, eles saíram correndo em direção ao pote de água e Joe adentrou na cozinha sorrindo e observou as duas abraçadas. — Estou atrapalhando alguma coisa? — Perguntou abrindo a geladeira para pegar uma garrafa de água gelada, Demi negou com a cabeça e sorriu exclusivamente para o namorado, ele estava tão bonito vestindo short de malha e camisa regata mesmo estando frio lá fora, e o cabelo estava raspado. 

— Não amor, nós só estávamos conversando. — Demi disse se aproximando dele para dar um selinho nos lábios do namorado aproveitando que a mãe estava distraída procurando as coisas que usaria para fazer a batata recheada. 

— Eu estou suado. — Falou colocando o copo na pia quando Demi o abraçou pela cintura, lá fora não estava sol, mas como estava correndo na quadra atrás de uma bola, inevitavelmente acabou queimando calorias e suando. — Você está linda com essa calça jeans. — Disse baixinho no ouvido dela, olhou para a sogra distraída e aproveitou para apertar o bumbum da namorada. Demi deu um tapa no braço dele e sorriu quando ele lhe deu um breve beijinho na bochecha. — Vou subir para tomar banho, será que da tempo de fazer uma sobremesa para levar pra Kim? 

— Eu vou fazer uma torta de maçã. — Demi falou o olhando atentamente. — E a minha mãe vai fazer batata recheada, é maravilhoso. — Sorriu porque a mãe cozinhava maravilhosamente bem apesar de não ter o costume já que em Chicago eles tinham empregados para cozinhar, limpar, cuidar do jardim, para dirigir e outra funções que Demi achava totalmente desnecessário. 

— Não amor, eu quero fazer. — Ele tinha falado algo engraçado para Demi estar rindo?  

— Querido, você só sabe cozinhar macarrão. A Kris está fazendo torta de noz, acho que é o suficiente.

— Amor, nunca desafie um homem, eu vou preparar o melhor mousse de chocolate que vocês já comeram na vida de vocês. — Disse dando uma piscadela para a sogra que riu. Nos dias que tinha ficado no apartamento, Clarice pode perceber que Joseph era um rapaz brincalhão que estava sempre fazendo as pessoas ao seu redor darem risada. — Primeiro eu vou tomar um banho porque um chefe de cozinha precisa estar limpo. — Joe beijou a testa de Demi e saiu subindo em direção as escadas para ir ao quarto. 

Demi e Clarice se apressaram para preparar os pratos que levariam, o combinado era o seguinte: iriam almoçar no apartamento de Kim, depois ficariam para assistir o culto de agradecimento que acontecia no salão de festa do condomínio todo ano e depois iriam para casa de Adam aonde aconteceria o típico jantar de ação de graças aonde eles contavam sobre o que eram gratos naquele ano. As batatas estavam no forno assando junto com a torta de maçã de Demi e Joseph estava na cozinha cantarolando e preparando o mousse de chocolate que ele jurava que seria o melhor mousse. 

— Eu trouxe o liquidificador especialmente para você experimentar e ver que é o melhor mousse que você já comeu na sua vida. — O liquidificador com as sobras do mousse de chocolate ele entregou especialmente para a namorada que sorriu sentada ao lado da mãe no sofá com Batman em seu colo, ela lambuzou o dedo e levou a boca. — Ah, vai falar que não é melhor mousse que você já comeu? — Disse brincalhão com um sorriso no rosto esperando a resposta da namorada. 

— Aonde você aprendeu a fazer? — Perguntou curiosa e deixou que o namorado lhe desse um selinho nos lábios. 

— Primeiro você diz que foi o melhor mousse que você já experimentou e depois eu digo aonde eu aprendi. — Demi revirou os olhos levando o dedo lambuzado até a boca novamente e fitou os olhos do namorado. 

— Esse é o melhor mousse que eu já experimentei, satisfeito? 

— Muito! — Sorriu satisfeito. — Eu aprendi a fazer em um programa de culinária. — Deu os ombros e sentou no tapete para acariciar os pelos de Lucky. — Demi revirou os olhos para o namorado e o empurrou pelo ombro com os pés apenas para provoca-lo. — Nossa garotinha não vai subir? — Mais cedo, Joseph e Alana haviam ido até um abrigo para doar comidas para ceia do dia de ação de graças para pessoas necessitadas. Havia sido importante para Alana entender que nem todas as pessoas tinham boas condições como ela e que se ela tinha oportunidade, ela deveria ajudar as pessoas e fazer boas ações. 

 — A Kris vai trazê-la quando terminar, ela está ajudando Kim a cozinhar e você sabe que ela deve estar adorando, ela ama cozinhar. — Sorriu e acariciou os ombros do namorado já que ele estava sentado no tapete de costas para ela. Demi observou o namorado trocando mensagem com Selena que estava tão focada no relacionamento com o namorado que eles mal a viam. 

— Ela vai estar no jantar? — Joseph ergueu a cabeça e riu ao flagrar o olhar da namorada vidrados no aparelho celular em suas mãos, ela estava lendo toda a sua conversa. Negou com a cabeça e voltou a responder Selena que havia mandado uma foto da praia de Malibu, ela estava mostrando todos os pontos turísticos da cidade para o namorado. 

— O namorado dela é italiano, ele não faz muita questão dessas coisas, eles estão em Malibu. — Comentou deixando o celular de lado para procurar algum programa interessante na televisão. E o restinho da manhã eles passaram daquela forma: assistindo televisão, conversando sobre os mais diferenciados tipos de assuntos e brincando com os cachorros. 

— Amor, deita aqui comigo. — Demi o chamou quando o namorado adentrou no quarto sem camisa, ela estava esperando dar o horário para começar a se arrumar e não conseguiu resistir a sua cama com a chuva que caía lá fora. Ela sorriu satisfeita e fechou os olhos quando Joe deitou ao lado dela a abraçando pela cintura. — Você ficou lindo com esse corte de cabelo. — Falou se virando para olha-lo nos olhos. Ela sorriu fitando aquela imensidão verde e o beijou brevemente nos lábios. — E eu amo os seus olhos, fico muito feliz porque a nossa filha tem os seus olhos, eles são incríveis. 

— E eu amo você. — Joseph respondeu dando um beijo demorado na bochecha dela para depois puxa-la para mais perto. — Amo seu cabelo, seu corpo, seus olhos, seus lábios e o seu sorriso então? Meu Deus, sempre que você sorri para mim meu coração acelera no peito. — Demi não pode conter o sorriso nos lábios e riu quando Joe fingiu que estava infartando. — Eu sou sortudo por ter você na minha vida. 

— Amo você, bebê. — Demi disse e deixou ele lhe beijar, os olhos se fecharam e a mente se desligou de todos os problemas apenas para aproveitar o momento com ele, beija-lo era tão bom, as línguas se encaixavam e quando Joseph a tocou na nuca deixou o momento ainda mais intenso. Quando faltou o ar, eles terminaram o beijo com um selinho e sorriam com a boca colada uma na outra. — Se eu pudesse eu ficaria a tarde toda assim com você, sem nenhuma preocupação, só nós. — Falou se aninhando ao peito dele, tinha lugar mais seguro que aquele? Quando estava nos braços dele, Demi se sentia protegida e que nada de ruim poderia afeta-la. 

— Às vezes eu fico me perguntando o que você tem que me prende tanto à você. — Joseph comentou fazendo carinho nos cabelos dela, fitando um canto qualquer do quarto. — Desde o dia que nos conhecemos eu só consigo pensar em você, mesmo depois de tudo o que aconteceu, quando eu estava casado com Sophie, tinha dias que eu me pegava pensando em você, como você estaria, se estaria feliz cursando medicina, como seus pais diziam, se estava com alguém e hoje eu só consigo agradecer por Deus ter me dado uma segunda chance e ter feito você cruzar meu caminho novamente. 

— E eu só consigo agradecer por você ter insistido tanto em estar na minha vida novamente. — Falou com os olhos fechados apreciando o carinho que ele fazia em seu cabelo, era tão bom e reconfortante. Demi sorriu quando a testa foi beijada carinhosamente e abriu os olhos fitando os olhos verdes que ela tanto gostava. 

— Eu te amo tanto e consigo ver um futuro lindo para nós. — Demi assentiu e o puxou para um beijo quente, foi impossível conter a gargalhada quando ele separou o beijo para ataca-la com cócegas, ele tinha certeza que a risada dela era alta o suficiente para chegar até a sala e foi por isso que Alana adentrou no quarto correndo dizendo que também queria cócegas. 

— Mãe, eu posso escolher a minha roupa? — Alana pediu quando Demi ligou o chuveiro para a pequena se banhar, quando a mãe assentiu com a cabeça, Alana deu pulinhos animados e entrou no box embaixo do chuveiro. — Mãe, eu não preciso de ajuda, eu já sei tomar banho sozinha. — Falou se esticando para alcançar o shampoo o que foi motivo de riso quando ela não conseguiu e teve que pedir ajuda. 

— Você ainda é um bebê, meu amor. — Demi disse massageando o couro cabeludo da filha cheio de espuma do shampoo, enquanto Alana segurava um patinho de borracha que ela tinha desde que era um bebê. Demi ajudou a filha no banho e quando saíram do banheiro, Alana correu para escolher sua roupa, Demi até tentou explicar para a filha que estava frio e que não era momento para ela vestir seu vestido de bailarina, mas a menina não quis ouvir e bateu o pé dizendo que vestiria aquela roupa. 

— Uau, que bailarina mais linda que entrou na minha casa. — Kim disse sorrindo ao ver a netinha de consideração adentrar em seu apartamento. Alana sorriu orgulhosa do seu look e olhou para a mãe como se dissesse "Eu avisei". — Eu já ia mandar mensagens perguntando se vocês estavam descendo. — Comentou cumprimentando a melhor amiga da filha que para ela era como se fosse uma filha. 

— Até que fim, eu estou morrendo de fome. — Kristen resmungou sentada no sofá com o celular em mãos, ela estava trocando mensagens com a namorada que estava viajando e não poderia passar o feriado com ela. — Sua cabeça sempre foi desse tamanho ou aumentou com esse corte de cabelo? — Disse ao avistar o namorado da melhor amiga, era tão divertido implicar com ele. Depois dos cumprimentos, Demi se acomodou no sofá ao lado da melhor amiga e o namorado sentou no chão junto com o namorado de Kim para jogar vídeo game, ignorando o comentário da amiga da namorada porque ele estava focado no jogo do Super Mario. — Olha o tamanho dessa cabeça, ainda bem que Alana não puxou você. — Tentou pirraça-lo novamente, mas Joseph não ligou. 

— Depois que ele passar a tarde toda te perturbando não vem chorar para o meu lado. — Demi falou observando os dois. Ela achava engraçado como os dois adoravam perturbar um ao outro, pareciam dois irmãos pirracentos. — Stella não vem? — Perguntou mudando de assunto. 

— Não, ela tem um evento em Nova York. — Respondeu focada no celular. — Ela disse que quer casar no começo do ano, acredita? — Perguntou fitando os olhos da melhor amiga e suspirou profundamente. — Eu não entendo para quê casar tão rápido, nós nem temos uma casa ainda. 

— Você já disse isso para ela? — Sorriu para o namorado quando ele lhe entregou o copo de refrigerante que estava bebendo. — Não está muito tarde para organizar um casamento para o começo do ano?

— Eu disse que precisávamos nos organizar melhor, eu não entendo o porquê de toda essa pressa para casarmos, temos tanto tempo pela frente. Ela é tão insegura, não pode me ver ao lado de um homem que acha que eu vou largar ela por qualquer pau. 

— Vocês precisam conversar sobre isso, se você quiser casar no começo do ano podemos correr e organizar uma cerimônia linda, mas se você quiser esperar mais um tempo, você vai precisar dizer à ela o que pensa sobre isso, falar como se sente e tudo mais... relacionamento é um troca e ambos os lados tem que ceder e chegar num acordo que beneficia as duas. — Deu os ombros e encarou o namorado sacaneando o namorado de Kim no jogo. 

— Você é um saco sabia? E eu odeio que você esteja certa. — Demi riu e aceitou o abraço da amiga de bom agrado porque era um dos melhores que existia. — Você e o cabeção estão bem? — Demi assentiu com um sorriso singelo nos lábios, Kristen sempre fazia aquela pergunta porque sempre queria ver Demi bem e feliz.

— Nós estamos ótimos, nunca me senti tão feliz e realizada em toda a minha vida. — Kristen sorriu feliz e observou o namorado da amiga distraído escolhendo um novo jogo de vídeo-game, ela revirou os olhos, homens e seus jogos.

— Você contou para ele sobre o teste? — Perguntou baixinho para Joe não ouvir. Demi negou com a cabeça e mordeu o lábio inferior olhando em volta da sala para se certificar que ele não estava ouvindo. 

— Eu não quero que ele crie esperanças, no momento certo teremos outro filho, mas até lá eu acho melhor ele não criar nenhuma expectativa. 

— Se você não se cuidar logo logo teremos um bebê. 

— A minha mãe disse a mesma coisa. — Riu e passou a mão pelo cabelo. — Eu marquei uma consulta com o ginecologista semana que vem, vou trocar meu anticoncepcional e vamos ser mais cuidadosos. 

— Por isso que é bom namorar mulher, além de homem só dar dor de cabeça eu não corro o risco de engravidar, só tem vantagens. — Sorriu maliciosa. 

— Pode parar de tentar levar a minha mulher para o lado negro da força. — Joseph disse puxando Demi para senta-la em seu colo, ele a beijou no pescoço e sorriu para Kristen, pirraçando-a. 

— Não se garante, Joseph? — Kristen perguntou com a sobrancelha arqueada e um sorriso debochado nos lábios. 

— Claro que sim, é meu nome que ela geme toda noite. — Deu os ombros e Demi deu um tapa forte no braço dele e sentiu as bochechas corarem porque no mesmo momento a mãe adentrou na sala e a encarou com a sobrancelha arqueada. 

— O almoço está servido, crianças. — Clarice fez questão de dar enfase na palavra "crianças" sem tirar os olhos de Joseph. Eles se reuniram em volta da enorme mesa de jantar e se serviram. Antes de começarem a comer, eles deram a mão e Kimberlly ficou responsável por realizar a oração. 

— Querido, Deus. Hoje somos gratos pela nossa família, pela nossa saúde, por termos um teto para morar e comida para comer. Abençoe todos aqueles que não tem condições para ter uma ceia e os guarde de baixo das suas asas, que o Senhor derrame bençãos na vida de cada um que está aqui nesta tarde, em nome de Jesus, amém!

— Amém! — Selaram a oração e sentaram-se novamente para finalmente almoçar. O almoço foi cheio de conversas divertidas e engraçadas. As sobremesas estavam uma delícia e o mousse de chocolate de Joseph foi muito bem elogiado e o sorriso cínico estava lá nos lábios dele para pirraçar Demetria. Depois do almoço, as mulheres foram para cozinha lavar a louça suja e os homens na sala bebendo uma cerveja e jogando conversa fora. 

As quatro horas da tarde, eles desceram para o culto de agradecimento que acontecia todo ano no salão de festas do prédio. Demi estava abraçada ao namorado e Alana nos braços da avó. Foi uma chuva de cumprimentos quando eles chegaram ao salão, Demi não era amiga de todos os moradores do prédio, mas conhecia alguns e não custava nada ser educada. Apresentou sua mãe para os mais conhecidos e logo Alana estava com os amiguinhos brincando num canto do salão. Demetria sentou ao lado do namorado e deitou a cabeça no ombro dele enquanto esperava o culto começar. 

— Amo você, amor. — Falou baixinho somente para Joseph ouvir, os olhos foi fechado quando ele lhe beijou carinhosamente na testa. — Quero que saiba que hoje eu sou grata por ter você na minha vida. — Aquele sorriso nos lábios dele era a coisa mais linda do mundo. Demi sorriu e deu um selinho breve nos lábios dele. 

— Eu também amo você, linda. — Joseph entrelaçou suas mãos e com a outra mão livre acariciou as bochechas coradas de blush. O pastor que todo ano realizava a reunião adentrou no salão cumprimentando todos de forma simpática, ele abriu a bíblia e todos ficaram de pé para a oração de início. Depois da oração, eles cantaram algum louvores e assim o pastor início a pregação. 

— Está frio. — Demi murmurou se abraçando quando o vento soprou forte. Joe tirou as mãos dos bolsos da jaqueta de couro e puxou a namorada para um abraço numa tentativa de aquece-los. O culto havia acabado há alguns minutos, o pessoal estava espalhados conversando e comendo alguns salgados e doces que havia espalhados em uma mesa, Alana estava brincando no parquinho com as crianças do condomínio e Joe e Demi estavam num cantinho mais afastado. — Você quer comer alguma coisa? Se você quiser eu pego para você. — Demi disse olhando para cima para conseguir fitar os olhos do namorado, ele negou com a cabeça e deu um selinho nos lábios dela. Joe não era um cara tímido, facilmente ele se enturmava. 

— Eu estou satisfeito, comi demais na casa da Kim e eu tenho que deixar um bom espaço para o jantar na casa do meu tio. — Piscou fazendo Demi revirar os olhos, Joseph comia para caramba e ela se perguntava como ele conseguia manter a forma comendo daquele jeito. 

— Vocês não vão comer não? — Kristen perguntou se aproximando dos amigos, em uma das mãos ela segurava um cachorro quente e na outra um copo descartável de refrigerante. — Sério, está muito bom. — Disse dando uma mordida generosa no cachorro quente. — Podem se largar que eu não quero ficar segurando vela. — Falou com a boca cheia. 

— Está com ciúmes? Tem abraço para você também. — Joseph adorava pirraçar a melhor amiga da namorada por isso ele desfez o abraço da namorada para puxar Kristen para um abraço apertado que a fez resmungar e bater no peito dele numa tentativa de se soltar. 

— Sai seu veado de merda. — Kristen resmungou arrumando o cabelo que estava todo bagunçado. Joseph sorriu e mandou um beijinho para ela que fez cara de nojo. Demi riu dos dois e abraçou o namorado pela cintura, ela sabia que no fundo toda aquele implicância entre eles era porque eles se gostavam. 

— Vocês dois são pior do que Alana e os cachorros juntos. — Demi disse com um sorriso enorme quando Joseph a abraçou novamente apertado e ela enterrou o rosto no peito dele, sentindo o calor lhe envolver. — Você não quer ir com a gente para casa da família do Joe? — Perguntou entrelaçando sua mão com a mão da melhor amiga enquanto os braços de Joseph rodeavam sua cintura. 

— Não amiga, minha mãe fez reserva no restaurante favorito dela e eu quero ficar com ela, acho que estamos finalmente nos entendendo novamente, sabe? E sem contar que o namorado dela vai pagar, tem coisa melhor do que comer de graça? — Demi sorriu e suspirou pensando como seria na casa da família dele. Ela iria conhecer a avó dele e estava com tanto medo de Kelly fazer algum comentário ruim sobre ela. — Eu vou pegar mais cachorro quente, alguém quer? — Joe e Demi negaram e Kristen se afastou para comer mais.

— Você está nervosa? — Joe perguntou beijando a mão dela entrelaçada com a sua. Ela suspirou e assentiu umedecendo os lábios. — Amor, você já conhece quase todo mundo da minha família, só falta minha vó e o meu primo. Meu tio convidou alguns amigos, mas não são ninguém importante, não tem com o que você se preocupar, linda. — A mãe dele era a preocupação, mas ela decidiu guardar aquele comentário para si. Sorriu para ele e ficou na pontinha do pé para conseguir dar um selinho nos lábios dele. 

— A minha mãe deu a ideia de irmos visitar meus avós, eles sempre veem para cá, mas eu acho que fazer uma visita para eles seria ótimo, sem contar que eles já estão de idade para ficar viajando de avião. — Virou-se para encarar o namorado e sorriu ao vê-lo coçar a nuca em dúvida. — Amor, vocês conversam direto e minha vó disse que acha o maior homão. 

— Eu adoro a sua vó. — Joe riu e sorriu a beijando na bochecha. — Eu vou adorar conhecer a mulher que ajudou a minha mulher durante todos esses anos, e acho que a sua avó tem razão, eu sou mesmo um homão. — Piscou para a namorada de um jeito sexy e sorriu malicioso fazendo Demi gargalhar mais alto do que deveria e ele adorava aquela risada alta e escandalosa dela. 

— Você é tão idiota. — Demi murmurou dando um tapa no peito dele. 

— Eu senti falta dessa risada. — A voz não vinha de Joseph, aliás eram completamente diferentes. Demi virou-se e sorriu quando encontrou Alex e Ryan. — Como você está? — Ele perguntou fitando os olhos marrons atentamente, sorriu quando Demi o abraçou e fitou Joseph com cara de poucos amigos. 

— Eu estou bem e você? Aliás, o que você está fazendo aqui? — Perguntou curiosa como sempre e notou quando os braços de Joseph apertaram sua cintura mais forte. 

— Kristen nos convidou, ela disse que não queria ficar segurando vela e bem, tem cachorro quente. — Alex disse sorrindo porque ele adorava cachorro quente, Demi riu e encarou Ryan que fitava um canto qualquer do salão. Ela sentia falta do melhor amigo, sentia falta de conversar com ele sobre tudo o que acontecia em sua vida porque era assim que eles costumavam ser, mas as coisas haviam mudado, ela havia mudado e quando a confiança era quebrada, nunca mais voltava a ser a mesma coisa. 

— Oi Ryan. — Demi o cumprimentou por educação e trocou um aperto de mão. Ryan encarou Joseph e se afastou quando seus olhos encontraram Kristen comendo num canto do salão e dançando com Alana. Alex se despediu do casal e acompanhou o amigo. 

— Eu não gosto deles. — Joseph disse quando eles já estavam longe o suficiente, era melhor dizer do que ficar escondendo. Demi virou-se para encara-lo e passou os braços em volta do pescoço dele. — Principalmente do Ryan, sempre que eu o vejo sinto vontade de soca-lo por ser um babaca de merda. 

— A verdade é que você não gosta de nenhum cara que já tenha me beijado e você não vai socar ninguém, já está no passado e eu não me importo mais. — Joe suspirou e desviou o olhar da namorada para fitar os olhos de Ryan que os encarava do outro lado do salão. — Bom, acho que você não tem com o que se preocupar porque apesar de ter muitos homens bonitos por aí, você é o único que eu quero. 

— Bom, então eu sou um filho da mãe de muita sorte. — Demi assentiu com a cabeça e ficou na pontinha dos pés para dar um selinho demorado nos lábios dele. — Céus, obrigada por essa mulher maravilhosa. — Disse agradecendo quando Demi separou o selinho e logo em seguida lhe deu mais uma série de beijinhos pelo rosto.  

— Seu tio ainda está casado, Joseph? — Clarice perguntou no banco de trás do carro, eles estavam a caminho da casa de Adam. No rádio estava tocando I Do da cantora Colbie Caillat, Demi estava sentada no banco ao lado do motorista e estava focada no celular, Alana cantarolava as músicas que estavam tocando e Joseph e Clarice conversavam sobre diversos assuntos. 

— Não, ele se separou faz alguns anos já, depois da tia Melissa ele já namorou várias mulheres diferentes que eu não sei se consigo contar nos dedos, atualmente ele está com uma namorada meio doidinha, ele diz que é o amor da vida dele, mas ele disse isso de todas as outras. — Riu lembrando-se de como o tio era namorador e trocava de namorada mais do que trocava de roupa. — Às vezes eu nem consigo decorar o nome delas e ele troca. 

— George e Adam eram muito amigos no tempo da faculdade, sabia? — Aquilo interessou até Demi que bloqueou o celular e virou-se para fitar a mãe. — Sério, todos nós estudávamos na mesma faculdade e eles eram muito amigos quando eu namorava com...  com seu pai. Os dois se afastaram quando sua mãe começou a namorar com seu pai, George não suportava Bruce e como eles eram cunhados, ficou difícil conviver e aí eles se afastaram, mas George disse que adoraria reencontra-lo. — Sorriu pensando no seu tempo de juventude. 

— Pai, aumenta! — Alana pediu quando a música I Don't Care do Ed Sheeran e Justin Bieber começou a tocar na rádio. — And you making me feel like i’m loved by somebody, i can deal with the bad nights when i’m with my baby, yeah ooh, ooh, ooh... (E você me faz sentir que sou amado por alguém, eu consigo lidar com as noites ruins quando estou com meu amor..) — Alana cantarolou feliz no banco de trás ao lado da avó. Demi sorriu e aproveitou para gravar o momento quando Joseph também começou a cantar junto com a filha vez ou outra lhe olhando mostrando que estava cantando para Demi e Alana. 

— Finalmente vocês chegaram! — Adam disse assim que abriu a porta. — Eu já ia ligar para saber aonde vocês estavam, sua mãe estava me enlouquecendo. — Resmungou abraçando o sobrinho para depois abraçar Demi. — Clarice, quanto tempo. — Sorriu ao ver a velha amiga da época da juventude. Eles já haviam se visto antes, mas agora a ocasião era diferente. — Que surpresa boa, você está tão linda quanto sempre. — Elogiou e Joseph revirou os olhos porque era assim que ele começava. 

— Eu achei que era algo em família. — Demi falou baixinho para o namorado ao perceber o tanto de gente que havia na casa e com certeza aquele não era um jantar de ação de graças comum. A mesa de jantar era enorme e tinha uma decoração impecável, a sala estava cheia de amigos e alguns garçons passavam oferecendo petiscos e os mais diferentes tipos de bebida, e tocava uma música instrumental dando um clima agradável ao local. 

— Era para ser, mas meu tio é meio exagerado. — Deu os ombros e agradeceu quando o garçom se aproximou oferecendo uma taça de champanhe. 

— Mãe, olha o tamanho daquele cachorro. — Alana disse apontando para o enorme cachorro preto que observava o movimento da sala na entrada que dava para o jardim. 

— Aquele é o Scott, ele é um Doberman. — Disse para a filha que assentiu com a cabeça e correu para perto do cachorro sem nem mesmo se importar com o tamanho dele e o jeito intimidador. Alana observou o cachorro atentamente e esticou a mão para acaricia-lo na cabeça, o cachorro latiu e ficou de pé apoiando as patinhas no peito de Alana, fazendo a garotinha cambalear para trás porque o cachorro era quase do tamanho dela. 

— Vejo que a minha sobrinha favorita já fez amizade com o Scott. — Adam disse sorrindo observando Alana conversando com o cachorro. Demi abraçou o namorado pela cintura e observou a sala cheia de gente. Ela estava vestindo jeans e suéter enquanto os outros estavam elegantes vestindo ternos e as mulheres vestidos longos, elas não estavam com frio? Demi se perguntou e sorriu fraco quando Joe beijou o topo da sua cabeça. 

— Eu vou falar com a minha mãe, você vem? — Perguntou para a namorada que observou a mãe conversando animadamente com Adam e negou com a cabeça. 

— Eu já alcanço você, pode ir. — Joe assentiu e saiu em direção a cozinha procurando pela mãe. Quando adentrou na cozinha, ele observou atentamente a mãe conversando com um rapaz que estava cozinhando, ele parecia ser um chefe de cozinha. Ele explicava sobre cada ingrediente e Kelly prestava atenção em tudo o que o homem dizia e assentia com um sorriso. 

— Boa noite. — Joseph disse sério e teve vontade de rir quando a mãe se assustou de tão concentrada que ela estava na conversa com o chefe de cozinha, Kelly olhou para o filho e sorriu tentando disfarçar o susto, ela arrumou o cabelo e foi até o filho abraça-lo. 

— Meu amor, achei que você não viria, eu liguei no seu celular milhões de vezes. — Beijou a bochecha do filho e o abraçou pela cintura. — O chefe Rodriguez estava me ensinando algumas técnicas de cozinhar, ele é chefe do buffet que seu tio contratou. — Explicou apresentado-o. — Rodriguez, esse é meu filho Joseph. — Joe apertou a mão do homem mais velho e o observou atentamente. 

— Eu vim te buscar para dar um oi para minha namorada e a minha sogra. — Kelly não escondeu a cara de surpresa quando Joseph se referiu à Clarice como sua sogra, ela mordeu o lábio inferior e franziu o cenho sem desviar o olhar do filho. 

— Joseph, eu mal aceitei a filha e agora tenho que aceitar a família inteira? — Disse verificando sua torta no forno. Ela suspirou e encarou o filho que estava com os braços cruzados. — Eu aceitei a sua namorada porque ela é a mãe da sua filha e porque você está feliz com ela, mas aceitar os pais delas... Joseph, eu e a mãe dela não nos damos bem desde que éramos jovens. 

— Essa rixa toda de vocês é só porque vocês namoraram o mesmo cara? Meu pai não merece que duas mulheres bonitas e inteligentes fiquem brigadas por causa dele. — Sorriu da forma mais fofa que conseguiu, ele abraçou a mãe por trás e beijou-lhe na bochecha. — Faz isso por mim, por favor. — Falou fazendo um biquinho e riu quando Kelly o acertou com o pano de prato.  

— Filho, Clarice era minha inimiga na faculdade. O seu pai traiu ela comigo, ele ficou com nós duas e só me escolheu porque eu engravidei, mas não pense que Clarice é uma santa, ela adorava me perturbar e fazia eu me sentir inferior porque eu cursava enfermagem e ela medicina. — Disse relembrando sua juventude. 

— Mas agora Clarice é casada, tem uma filha e uma neta. E a senhora é uma coroa muito bonita e que está com tudo em cima, está solteira e precisa aproveitar a vida, vocês deveriam deixar essas diferenças do passado para trás e seguir em frente, querendo ou não, somos todos uma família agora. E sabe o que eu acho? Que a senhora deveria arrumar um namorado, curtir a sua vida, sair mais, arrumar novas amigas. Mãe, a senhora é jovem e uma mulher linda, se eu não fosse seu filho e não tivesse namorada, eu com certeza iria atrás de você. — Joe disse olhando para o chefe de cozinha que estava conversando com um garçom.

— Não seja bobo, querido. — Kelly riu tímida e beijou a testa do filho carinhosamente. — Tudo bem, eu não vou implicar com Clarice e nem desrespeita-la, é um dia para agradecer pelas coisas boas e depois de tudo o que aconteceu eu só quero um pouco de paz. — Disse num suspiro. Era melhor deixas as coisas do passado no passado e pelo seu único filho ela faria qualquer coisa. 

— Eu fico muito feliz por isso, você é a melhor mãe do mundo. — Falou sem desviar os olhos da mãe. Apesar de tudo ela era sua mãe, a mulher que havia lhe dado a vida e ele a amava muito. Kelly, Demetria e Alana. As três mulheres da sua vida e ele era um homem de sorte por ter três mulheres fortes ao seu lado. 

A sala era aonde o maior número de convidados estavam concentrados. Havia pessoas sentadas no sofá conversando, outros no celular e outros em pé conversando em grupinhos com uma taça em mãos. Clarice estava conversando com Adam e um grupinho de amigos que se conheciam desde a juventude, nas escadas que dava acesso aos quartos Demi conseguiu ver a avó de Joseph observando o pessoal atentamente, ela abraçou o namorado porque a avó dele esbanjava sofisticação. 

Antônia desceu as escadas graciosamente cumprimentando algumas pessoas em seu caminho, ela era educada e de longe dava para perceber a classe daquela mulher, o colar de pérolas no pescoço e o vestido social que batia até abaixo dos joelhos, nos pés um salto baixo que a deixava mais alta poucos centímetros. — Olha só quem está vindo. — Adam anunciou com um sorriso segurando a mão da mãe para ajuda-la descer o último degrau da escada. Ele beijou-lhe na testa e disse algo no ouvido dela. 

— Olha só quem resolveu aparecer, meu querido neto. — Antônia disse observando o neto de cima abaixo. Joe riu e abraçou a avó carinhosamente. — Aonde está a sua filha? Ela é uma graça e eu a adoro. — Falou depois que o neto a soltou. 

— Ela está la fora brincando com os cachorros. Vovó, está é Demi, minha namorada. — As bochechas de Demi coraram tanto quando Antônia a olhou de cima a baixo. Tinha como ficar mais embaraçosa aquela situação? Se ela soubesse que seria uma festa tão grande ela teria se arrumado mais, ela mataria Joseph quando chegassem em casa porque ele ficou falando o tempo todo que ela estava linda com aquela roupa. 

— É um prazer conhecê-la, Senhora Jonas. — Demi estendeu a mão para cumprimentá-la, ela só não esperava que a senhora sorriria e a puxaria para um abraço apertado, o coração até acelerou. 

— O prazer é todo meu, querida. Joseph fala muito sobre você e eu estou tão aliviada pelo meu neto ter uma namorada tão linda, teve um momento que cheguei a pensar que ele morreria largado às traças com um cigarro de maconha do lado. — Disse fazendo Adam rir. — Eu estou muito feliz em conhecê-la, você coloca um sorriso nos lábios do meu neto e se Kelly estiver sendo uma bruxa malvada com você, ignore-a, ela é uma velha ciumenta. Vem querida, sente-se aqui comigo. — Falou conduzindo Demi a sentar-se no sofá ao seu lado. Joseph sorriu para a namorada e assentiu com a cabeça dizendo silenciosamente para ela ficar sossegada e saiu para cumprimentar algumas pessoas que o conhecia. — Vocês já conversaram sobre casamento? Você ficaria linda num vestido de noiva da marca Lazaro. 

— Já conversamos e achamos melhor esperar um pouco mais, eu me formo na faculdade no mês que vem e quero me estabilizar na minha profissão primeiro para depois pensarmos em casamento. 

— Ah querida, entendo perfeitamente. Vocês jovem não pensam em casamento, é um relacionamento moderno, na minha época se uma jovem como você engravidasse ela deveria casar antes do povo saber se não ela era julgada de tudo quanto é nome. 

— Eu imagino como deve ter sido, quando engravidei sofri preconceito da minha própria família e até recentemente, eu sou a mãe mais jovem da escola da minha filha e as vezes eu percebo os olhares de julgamento sobre mim por ser mãe solteira. 

— Ah meu anjo, as pessoas sempre vão julgar e apontar o dedo para qualquer coisa que você fizer, mas eu quero saber de você sobre sua história, já ouvi de terceiros e até mesmo da minha filha, mas ela é uma ciumenta que só sabe defender as atitudes de Joseph, independente dele estar errado ou não. 

— Clarice. — Kelly disse quando a mulher dos cabelos pretos e longos adentrou na cozinha. 

— Kelly. — Clarice respondeu e umedeceu os lábios observando a mulher loira em sua frente. — Tudo bem? — Perguntou educadamente porque havia prometido a filha que seria educada  e Joseph havia prometido que a mãe iria se comportar. 

— Tudo ótimo, e você? Fiquei surpresa quando meu filho disse que você viria passar o feriado com a gente. 

— Estou bem, obrigada por perguntar. Eu aceitei passar o feriado com vocês porque era o desejo dos nossos filhos, Joseph e Demetria estão em um relacionamento sério e estão dando passos para um casamento, não quero que a nossa neta cresça num ambiente de brigas, então eu estou fazendo isso por eles. Sem contar que o tempo em que eu estou passando com eles no apartamento eu estou conseguindo perceber o quão apaixonados eles estão, e Joseph se tornou um bom rapaz e um ótimo pai. 

— Meu filho sempre foi um homem incrível, o único erro dele foi se envolver com Demetria quando estava comprometido com outra mulher. 

— E ele teve muita sorte da minha filha querer ele de volta. — Ah, a cara de Kelly foi impagável e Clarice soube que havia pegado no ponto fraco dela. — Ele com certeza teve que correr muito atrás da minha filha para conseguir fazer parte da vida dela novamente. Eu conheço a minha filha e sei que ela não aceitaria Joseph tão facilmente na vida dela. 

— Acho que você não conhece sua filha tão bem assim. — Kelly disse tirando a torta do forno e colocando em cima do balcão da cozinha. — Ela ficava com um engenheiro que trabalha na empresa do meu irmão e com o meu filho ao mesmo tempo, ela não é o melhor exemplo para Alana. 

— Você não tem moral nenhuma para falar sobre a minha filha ser um exemplo, o seu filho estava noivo de uma mulher e ficava com a minha filha.

— E a sua filha foi burra o suficiente para engravidar de um homem comprometido. — Foi só uma pena que Kelly disse aquilo no momento em que Joseph adentrou na cozinha de mãos dadas com Demi que ficou sem graça. Ela encarou a mãe e depois colocou uma mecha do cabelo atrás da orelha, desfazendo o sorriso do rosto.

— Eu só pedi uma coisa para a senhora. — Joseph falou sério encarando a mãe que estava sem reação porque não queria que o filho tivesse ouvido, ele tinha pedido para ela tratar Demi e Clarice bem, ser receptiva e amigável. — Eu não sei para que eu fui inventar essa história de passarmos o feriado juntos, está claro que a senhora não respeita a minha família. — Disse decepcionado, Demi segurou mais forte a mão dele como se estivesse pedindo para ele não falar daquela maneira com a mãe dele. — Vem, amor. — Chamou Demi que nem mesmo teve chance de dizer algo porque Joseph lhe arrastou para um canto mais afastado. 

Na parte de trás da casa de Adam havia o quintal aonde ficava a piscina, era um quintal enorme com grama verde e algumas árvores para fazer sombra. Joseph suspirou e puxou Demi parou um abraço, ela ergueu a cabeça e deu um beijinho no pescoço dele. — Amor, relaxa. — Pediu. Ela havia ficado incomodada com o que ouviu da boca de Kelly, mas ela sabia que Kelly não era sua fã e que nada que ela fizesse iria fazê-la mudar de ideia. 

— Eu sinto muito por ela. — Disse encarando os olhos da namorada. — Eu não sei mais o que fazer para ela não agir daquela maneira, eu já pedi tanto, mas parece que não adianta. 

— Ei, ela é a sua mãe e só quer o melhor para você. A minha mãe estava lá e tenho certeza que ela não deve ter dito palavras gentis para sua mãe. Eu vou tentar entender o que aconteceu, não fica com raiva dela. — Pediu levando as mãos até o rosto dele e ficando na pontinha para alcançar os lábios dele, empurrando o corpo mais para o dele. — O meu feriado está incrível só porque eu estou com você. — Falou umedecendo os lábios antes de dar um selinho demorado que acabou se transformando num beijo mais intenso. 

— Pai, eu posso ir no pula-pula? — Alana chegou correndo perto dos pais. O que tinha acontecido com a menina? Ela estava sem as sapatilhas e o cabelo que Demi havia arrumado já estava todo bagunçado. — Deixa, pai. — Pediu com tamanha empolgação que não cabia em si, havia um enorme pula-pula, balanços e escorregador que Adam havia alugado para a sobrinha e os filhos dos amigos que também estavam lá. 

— Pode ir, princesa, mas cuidado para não se machucar. — Disse já que Alana era a mais nova das crianças que estavam por ali. Ela nem ouviu o que o pai disse e já saiu correndo em direção ao pula-pula. — Acho melhor ficar de olho nela. — Falou sem tirar os olhos da filha que tentava subir as escadinhas. Demi riu assentindo com a cabeça e entrelaçou suas mãos o puxando em direção à Alana. 

— Eu vou buscar algo para beber e já volto. — Demi avisou dando um breve beijinho na bochecha dele. Ela adentrou na sala, cumprimentou algumas pessoas brevemente e procurou a mãe com os olhos até encontra-la sentada em uma cadeira conversando com uma mulher que ela não conhecia. — Mãe, será que a gente pode conversar um minutinho? — Pediu umedecendo os lábios. Clarice assentiu, se despediu da moça simpática e caminhou com a filha até a sala de jantar aonde havia poucas pessoas. — O que a senhora falou para Kelly? 

— Por que você acha que eu falei alguma coisa? — Perguntou com a sobrancelha arqueada sem desviar o olhar da filha. Demi suspirou e arqueou a sobrancelha assim como a mãe, elas eram parecidas e Clarice teve vontade de rir daquele fato. 

— Mãe, eu te conheço. 

— Tudo bem, ela começou a insinuar que Jospeh era melhor do que você e eu disse que ele tinha muita sorte de você tê-lo aceitado novamente depois tudo o que ele fez, eu só estava te defendendo. — Disse encarando Demi que suspirou já cansada de toda aquela rixa entre a sua família e a família do namorado, será que nunca teriam paz? 

— Eu quero que a senhora vá pedir desculpas. 

— Demi... — Tentou argumentar, mas acabou suspirando ao perceber a maneira que a filha lhe olhava. 

— Mãe, por favor. Alguém precisa tomar uma iniciativa, se vocês deixarem o passado para trás e começar a viver o hoje, talvez vocês se tornem melhores amigas. — Sorriu mesmo sabendo que talvez aquilo nunca fosse acontecer. — Faça isso por mim e pela sua neta, eu não quero que Alana cresça com vocês duas trocando farpas e competindo para provar se eu ou Joseph é melhor, nós dois somos um casal e não existe competição entre a gente. 

— Eu vou fazer isso só por você. — Disse após um longo suspiro. Demi sorriu animada e abraçou a mãe, era importante para ela e para Joseph que as famílias se dessem bem. Elas saíram da sala de jantar de mãos dadas e no mesmo momento Joe adentrou na sala com Alana nos braços, a menina chorava e tinha o joelho ralado. — O que aconteceu? — Clarice perguntou se aproximando do genro e da neta que chorava dramaticamente. 

— Ela foi inventar de dar um mortal na cama elástica e bateu o joelho no ferro. Eu vou subir com ela. — Demi subiu logo atrás do namorado e olhou para a mãe a incentivando ir falar com Kelly. — O papai vai colocar um curativo e você vai ficar novinha em folha. 

— E..está doendo, pai. — Alana disse entre soluços. Como podia alguém ser tão dramática como aquela pequena garotinha? Demi se perguntou assim que eles adentraram no quarto de hospedes, Joseph foi até o banheiro e pegou o kit de primeiro socorros que sabia que o tio guardava.  

— Já vai passar, anjo. — Demi sentou ao lado do namorado e observou ele atentamente. Joe era um bom pai e isso ninguém poderia discordar. Ele era tão cuidadoso e paciente, ela observou ele limpar o machucado e colocar um curativo cuidadosamente, sempre repetindo para a filha ter calma e quando terminou, ele deu um beijinho em cima do curativo e disse que iria sarar rápido. 

— Obrigada, papai. — Alana sorriu e levantou saindo do quarto correndo como se não tivesse machucado. Crianças. Demi riu e umedeceu os lábios observando o namorado guardar o kit. 

— Eu me apaixono por você cada dia mais, sabia? — Demi disse o abraçando pela cintura. Ela sorriu e levantou a cabeça para conseguir olha-lo nos olhos. — Te amo, meu amor. — Joe sorriu e encostou seus lábios, encaixou a mão no pescoço dela, fazendo Demi fechar os olhos. O beijo foi intenso, apaixonado e molhado. Ele virou Demi encostando-a no guarda-roupa e desceu a mão que estava na cintura para o bumbum.

Joe separou o beijo com uma leve mordida no lábio inferior de Demi e suspirou recuperando o folego. Ele sorriu de lado, aquele sorriso malicioso e cheio de segundas intenções, Demi mordeu o lábio inferior, a respiração subia e descia e ela estava louca para outro beijo daquele. — Você é muito gostosa. — Disse baixinho no ouvido dela. Demi fechou os olhos e adentrou a mão na camiseta dele, arranhando as costas levemente. 

— Amor... — Ela não conseguiu concluir a frase porque Joseph a calou com um beijo. Demi gemeu baixinho quando ele a apertou na cintura e depois no bumbum. Ele era tão bom com as mãos que ela sentiu a calcinha molhada. Demi suspirou com a boca ainda colada na dele e levou a mão até o cós da calça jeans dele e depois na ereção, Joseph suspirou profundamente e desceu os beijos para o pescoço dela. 

— Se você continuar me provocando eu vou foder você aqui mesmo, nessa posição. — Disse no ouvido dela. A voz séria não tinha um pingo de brincadeira. Demi engoliu seco e mordeu o lábio inferior, ela queria transar com ele ali, naquela posição. Eles estavam tão envolvidos que nem perceberam quando a porta do quarto foi aberta. 

— Ai meu Deus. — Eles se separaram assustados e encararam a jovem que estava na porta. — Eu sinto muito, achei que aqui era o banheiro. — Falou com as bochechas coradas. Demi umedeceu os lábios e sorriu sem graça para a menina. Ela era uma adolescente, deveria ter no máximo dezoito anos, era alta com um corpo magro bem curvilíneo, ela estava vestindo um vestido curto acima dos joelhos com um salto alto e um decote entre os seios. 

— Está tudo bem. — Demi disse observando o olhar da adolescente sobre o namorado que lhe abraçava por trás por conta da ereção. 

— Vocês podem me dizer aonde é o banheiro? — O cérebro de Demi dizia constantemente que a menina era apenas uma adolescente porque o olhar da menina estava todo focado em Joseph, Demi queria virar para saber se o namorado estava retribuindo o olhar. 

— É na porta no final do corredor. — Joseph disse, a menina assentiu com um sorriso e saiu rebolando. Demi revirou os olhos e virou-se encarando o namorado com uma sobrancelha arqueada. — O que foi? — Perguntou coçando a nuca. 

— Você viu como ela te olhou? — Joe assentiu com a cabeça e não entendeu quando levou um tapa forte da namorada no braço. 

— Ai, porque você está me batendo? — Resmungou alisando o local agredido e se esquivou quando Demi lhe acertou com mais um tapa, ele sentiu o braço arder. 

— Porque você é um safado! — Demi disse ajeitando a blusa e o cabelo em frente ao espelho que ficava na porta do guarda-roupa. Ela chegava à estar corada de raiva porque todos os homens eram iguais, não podia ver um par de peitos e uma bunda. 

— Eu não fiz nada, eu vi como ela me olhou, mas eu não retribui, em todo momento eu estava olhando para a porta. — Explicou abraçando a namorada pela cintura, seu olhar focou no dela pelo espelho e Joseph beijou-lhe na bochecha. — Eu só tenho olhos para você, você é uma mulher linda, gostosa, tem uma bunda maravilhosa, mas além de tudo isso, é uma mulher incrível, com um coração enorme e é a melhor mãe de todas. Te amo, meu amor. — Demi sorriu e virou-se para beija-lo. 

— Será que a gente pode conversar? — Clarice perguntou assim que esbarrou com Kelly no corredor, a mulher loira encarou a morena de cima a baixo e suspirou. — Eu quero me desculpar pelas coisas que eu disse na cozinha. Eu não acho que seja saudável a gente continuar dessa maneira, nossos filhos estão em um relacionamento e logo eles vão se casar, tem a nossa netinha também e não quero que ela viva num ambiente assim. Vamos deixar o nosso passado para trás, somos adultas agora, sua vida seguiu um rumo diferente e a minha também, eu sou casada e você... você se divorciou é uma mulher bonita e saudável que tem tudo para encontrar um novo amor, vamos só esquecer o que aconteceu e seguir em frente. 

— Você está certa, nossos filhos vão casar e temos uma neta, é uma ligação para vida toda. Hoje é dia para agradecer e comemorar as coisas boas, vamos deixar o nosso passado no passado e seguir em frente. — Kelly sorriu e elas selaram o recomeço com um breve abraço. 

— Vocês duas, vem ver os pintinhos comigo. — Alana chegou correndo ofegante e segurou a mão das duas avós e as arrastou para o quintal dos fundos aonde ela achava um galinheiro que tinha alguns pintinhos. 

O jantar foi servido alguns minutos mais tarde. A mesa era enorme e todos os amigos e familiares estavam reunidos em volta da mesa recheada dos mais variados tipos de comida. Demi estava sentada ao lado de Joseph e vez ou outra ajudava a filha com os talheres. A avó de Joseph foi a responsável pela oração de agradecimento e depois eles tiraram o momento para dizer pelo o que eram agradecidos naquele ano. 

— Eu sou grata por essa família. — Antônia começou à dizer. — Depois de tantos anos e conflitos conseguimos nos reunir todos juntos, deixando o passado sujo para trás e recomeçando com amor e união. Sou grata pelos novos membros. — Disse olhando para Demi e Alana. — E espero que possamos passar muitos feriados juntos. Demi. — Falou passando a vez para Demi, que suspirou e sorriu envergonhada quando sentiu todos os olhares sobre si.

— Hoje eu sou grata pela minha família. — Demi disse com as bochechas coradas, ela apertou a mão da mãe e sorriu. — Sou grata por ter uma família tão abençoada, sou grata por ter um namorado tão companheiro, apoiador e de um coração enorme e sou grata também pela minha filha, ela é a razão da minha vida e sem dúvida a melhor coisa que já me aconteceu. 

— Eu sou grata pela minha mamãe e meu papai. — Alana disse com um sorriso no rosto, deixando todos bobos com a fofura da menina. — E pelos meus cachorros também. — Sorriu para o pai que beijou-lhe na testa e sussurrou que a amava. 

— Esse ano eu tenho muita coisa para agradecer, Deus tem sido um cara muito bom comigo. — Joseph disse quando os olhares se redirecionaram à ele. Quantas coisas boas aconteceram com ele aquele ano. Alana e Demetria era uma delas. — Mas eu vou agradecer só por duas esse ano, que foram sem dúvidas as melhores coisas que aconteceram na minha vida. Reencontrar Demi foi com certeza a coisa mais marcante desse ano e saber que eu tenho uma filha com ela foi a coisa mais maravilhosa que poderia acontecer. Elas são a minha família.

***

O jantar se estendeu por horas e horas, chegaram em casa já eram quase uma hora da manhã. Alana dormia confortavelmente no braço do pai e chegava até suspirar. Clarice abriu a porta e Joseph subiu diretamente para o quarto da filha, foi uma judiação acordar a pequena aquele horário para tomar banho, mas foi preciso, ela está com o pé sujo e suada de tanto correr pelo quintal junto com os cachorros. Alana choramingou quando foi acordada para tomar banho, fez birra e até chorou, mas Joseph conseguiu dar um banho rápido na menina e ajuda-la a vestir o pijama de frio. A garotinha foi toda manhosa para o quarto dos pais e deitou ao lado da mãe. — Eu quero dormir aqui com você. — Disse abraçando Demi pela cintura. 

— Ta bom, meu bebê manhoso. — Demi disse enchendo a filha de beijinhos na bochecha. Alana resmungou e pediu para Demi fazer carinho em seu cabelo. — Eu te amo, meu amor. — Beijou-lhe no topo da cabeça e começou a fazer cafuné nos cabelos loiros da filha. Joe adentrou no quarto segurando o copo de leite e entregou para a filha que estava quase dormindo. 

— Ela está cansada. — Comentou observando a filha beber o leite com o achocolatado de olhos fechados. 

— Ela gastou todas as energias lá, ainda bem porque assim ela dorme a noite toda e ainda acorda tarde amanhã. — Demi pegou o copo da mão da filha antes que ela derramasse em cima da cama e entregou para o namorado, deitou a garotinha na cama e suspirou sentindo o cansaço bater. — Eu vou tomar banho. — Disse levantando e prendendo o cabelo num coque alto. Ela caminhou para o closet, buscou um pijama e caminhou para o banheiro. 

Quando Demi saiu do banheiro foi a vez de Joseph usar, ele tomou banho, escovou os dentes e vestiu uma calça de moletom e uma regata. Demi estava deitada na cama com o abajur ligado e ela mexia no celular, ele caminhou até ela e se inclinou para depositar um beijo no pescoço e inalar o cheiro de hidratante que saia da pele dela. — Amo tanto você. — Disse baixinho para não acordar a filha que dormia ali do lado. Demi sorriu de olhos fechados e o abraçou pelo pescoço. 

— Eu estou tão feliz e satisfeita que as coisas se ajeitaram para nossa família. — Era tão reconfortante saber que as famílias tinham dado uma trégua naquela briga ridícula entre eles, era bom saber que agora estava tudo caminhando perfeitamente bem, como deveria ser, sem rixa familiar e sem brigas. 

— Eu também, meu amor. Finalmente as coisas estão caminhando bem e eu posso ver a gente se casando daqui um tempo. Eu vejo você em um lindo vestido de noiva, a nossa garotinha entrando com as alianças e eu te esperando no altar. Eu vejo a gente em uma casa grande e com um quintal enorme para Alana e os cachorros brincar. 

— Eu também vejo isso, amor. Nosso futuro vai ser lindo e eu mal posso esperar para vivê-lo ao seu lado. — Demi fitou os olhos claro do namorado e sorriu sentindo-se extremamente apaixonada por aquele homem bonito. Ela selou seus lábios num selinho e suspirou de tanta paixão. 

— Eu amo você, Demi. Amo a nossa pequena família, e eu sempre vou ser extremamente grato por você ter me dado essa segunda chance. 

— Eu te amo, eu te amo, eu te amo. — Demi repetiu inúmeras vezes dando um selinho em Joe em cada eu te amo. Ela o puxou para um abraço apertado mesmo ele sendo pesado. Ela entrelaçou as pernas em volta da cintura dele e o beijou declarando todo o seu amor. 

--

posso ouvir um aleluia, irmãos? meu deus, quanto tempo. 
eu já estava louca por não conseguir nada que preste, nada do que eu escrevia eu gostava e mesmo postando esse capítulo para vocês não achei que ele ficou bom, tinha algumas ideias, mas não funcionou bem
o próximo é o último e eu nem sei o que vou escrever nele, socorro senhor shsjkhfk se tiverem sugestão podem deixar nos comentários. 

está tendo votação para decidir a próxima fanfic do blog, se você não postou pode votar aqui 
respostas dos comentários do capítulo anterior aqui | volto assim que finalizar o próximo 
amo vocês.